Canadá descarta "surpresas desagradáveis" na COP-17

Ministro canadense não definiu se tem intenções de abandonar o Protocolo de Kyoto, como já afirmou no passado

EFE |

O ministro do Meio Ambiente do Canadá, Peter Kent, garantiu que "não haverá surpresas desagradáveis" durante a 17ª Conferência das Partes (COP-17) da ONU sobre Mudança Climática, que ocorre em Durban (África do Sul), mas não esclareceu se finalmente abandonará o Protocolo de Kyoto.

"Tivemos uma conversa ontem com Christiana Figueres (secretária da Convenção da ONU sobre Mudança Climática) e lhe garanti que não haverá respostas desagradáveis em Durban", respondeu Kent, perguntado sobre se o Canadá tem a intenção de abandonar o Protocolo de Kyoto no final de ano. "Não farei comentários sobre rumores", advertiu Kent durante uma entrevista coletiva.

Entenda:
Como acontece o aquecimento global
Quem são os maiores emissores
Perguntas e respostas sobre a COP-17


"O que posso dizer-lhe é que, neste momento, estamos trabalhando com as partes (os países presentes na COP-17) para conseguir um acordo global".

O governo canadense disse na segunda-feira (5) que o Protocolo de Kyoto é "coisa do passado", mas não confirmou nem desmentiu a informação da televisão canadense "CTV", que um dia antes noticiou que o Canadá planejava anunciar, antes do fim do ano, sua retirada formal do tratado.

Veja as notícias do dia:
Dilma diz que renovação de Protocolo de Kyoto é essencial
OMS pede medidas em Durban para evitar 13 milhões de mortes por ano
Comércio marítimo pode ajudar fundo para o clima, diz ONU
Aquecimento global deve 'superar níveis seguros', diz estudo

O que o Executivo canadense confirmou é que não assinará em Durban um segundo período do Protocolo de Kyoto, cujo primeiro prazo expira em 2012. O Canadá alega que Kyoto é insuficiente por não obrigar a redução das emissões de gases do efeito estufa das principais economias poluentes que não estão incluídas no tratado, como Estados Unidos e China.

O Protocolo representa o único tratado legalmente vinculante que fixa obrigações aos países desenvolvidos para a redução de emissões de gases do efeito estufa. A renovação do Protocolo, que os países em desenvolvimento consideram um instrumento fundamental contra a mudança climática, se transformou em um tema de vital importância para a COP-17.

    Leia tudo sobre: mudanças climáticascop 17durbanaquecimento global

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG