Minc critica resultados de conferência da ONU sobre o clima

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, criticou os resultados da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), encerrada na sexta-feira em Copenhague, Dinamarca. Para ele, a criação de um fundo de US$ 30 bilhões destinado a ajudar países pobres a combater as mudanças climáticas e a redução de gás carbônico nos próximos três anos é insuficiente.

Agência Brasil |

Esse valor de US$ 30 bilhões para todos é menos do que o Brasil sozinho vai gastar para cumprir as nossas metas, aprovadas pelo nosso parlamento, disse o ministro, em nota, lembrando que o país vai gastar US$ 16 bilhões por ano para cumprir a meta de reduzir em até 39% as emissões de gases de efeito estufa até 2020.

Minc disse ainda que o Brasil vai continuar cobrando dos países ricos uma postura mais forte para a proteção do planeta. "A gente vai mobilizar a população e a opinião pública, assim como foi feito para que os Estados Unidos e a China apresentassem as suas metas", afirmou.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse que o acordo parcial - fechado entre os Estados Unidos, a China, Índia, o Brasil e a África do Sul com apoio de outros países - não é o ideal, mas o início da busca por um acordo. O Acordo de Copenhague pode não ser tudo o que todos esperavam, mas é um começo importante, disse.

A presidência da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15) optou por tomar nota do Acordo de Copenhague. O acordo oficial ficou para 2010. Vamos tentar chegar a um acordo obrigatório com valor legal até a COP-16, no México, completou.

Leia também:


Leia mais sobre: acordo climático

    Leia tudo sobre: acordo climáticocopenhague

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG