Em desafio à China, Obama pede monitoramento de emissões dos países

COPENHAGUE - O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira que o acordo em discussão na COP15 inclua um mecanismo que permita monitorar se os países estão cumprindo com sua promessa de reduzir emissões. A declaração, feita em discurso no último dia da Conferência de Copenhague, foi um desafio direto à China, que vem se negando a aceitar inspeção internacional sobre suas ações.

iG São Paulo |

Devemos ter um mecanismo para revisar se estamos mantendo nossos compromissos e para trocar essa informação de forma transparente", disse perante 119 líderes no Bella Center, local do encontro.

Essas medidas não precisam ser intrusivas ou infringir a soberania nacional", afirmou, em direta referência às preocupações expressas por autoridades chinesas, que têm resistido a aceitar as propostas de medidas de verificação .

Elas devem, porém, assegurar que um acordo seja crível, e que nós cumpramos nossas obrigações. Sem uma prestação de contas, qualquer acordo será de palavras vazias em um papel", afirmou. Depois do discurso, Obama reuniu-se por quase uma hora com o premiê chinês, Wen Jiabao .

Para o presidente americano, o mundo deve aceitar um acordo climático mesmo que seja imperfeito. "A questão é se vamos seguir em frente juntos ou nos dividirmos", afirmou Obama. "Esse não será um acordo perfeito e nenhum país vai conseguir tudo o que quer", acrescentou.

Obama reiterou as ofertas dos Estados Unidos e afirmou que os EUA continuarão a lutar contra o aquecimento global independentemente do que ocorrer no encontro na Dinamarca. "A hora da conversa acabou", disse.

Após uma reunião com líderes de mais de 20 países para tentar salvar a conferência, Obama disse que todos estão convencidos da "realidade da mudança climática". Destacou, porém, a falta de vontade política para o fechamento de um acordo.

"Vamos continuar discutindo os mesmos argumentos mês após mês, ano após anos... enquanto o perigo da mudança climática cresce de forma irreversível."


Obama discursa em Copenhague / Reuters

O presidente americano pediu aos líderes mundiais que "atuem juntos" em um acordo para combater as mudanças climáticas, mas não anunciou a ampliação na meta dos EUA sobre o corte de emissões, considerada por alguns como crucial para um acordo. Antes da cúpula, EUA disseram que preveem cortar 17% das emissões de CO² até 2020, em relação a 2005.

A reunião de Copenhague é a 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, conhecida como COP-15. A Organização das Nações Unidas (ONU) começou a discutir as mudanças climáticas em 1972, num grande evento em Estocolmo, Suécia. Os encontros se tornaram anuais em 1995, com a COP1, ocorrida em Berlim. A COP-16 ocorrerá em dezembro de 2010, na Cidade do México.

Leia também:

Com New York Times 

Leia mais sobre acordo climático

    Leia tudo sobre: acordo climático

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG