Dilma critica sugestão de Marina e Serra de que Brasil contribua com fundo do clima

A ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, criticou nesta segunda-feira as proposta do governador de São Paulo, José Serra, e da senadora Marina Silva (PV-AC) de que o Brasil contribua financeiramente com o fundo internacional de adaptação climática, voltado aos países mais pobres e vulneráveis, para causar um constrangimento aos países desenvolvidos. Segundo Marina, a contribuição poderia ser de pelo menos US$ 1 bilhão.

Carolina Ribeiro Pietoso, de Copenhague |

 Clique aqui para ver o infográfico

Não podemos fazer só gestos, se não cairemos em propostas fáceis, pura e simplesmente mercadológicas, afirmou Dilma na Conferência de Copenhague.

Segundo a ministra, os valores apresentados em Copenhague são em torno de US$ 120 bilhões a US$ 150 bilhões, tendo alguns de US$ 500 bilhões. Agora, desculpa, não é US$ 1 bilhão - (quantia) que não faz nem cosquinha, disse.

Neste domingo, Dilma já havia dito que o País não deveria dar dinheiro a um fundo para ajudar países pobres a combater e se adaptar às mudanças climáticas, por considerar que isso é papel das nações mais ricas, que historicamente têm mais responsabilidade no aquecimento global.

Para a ministra, o Brasil também precisará de ajuda financeira para atingir suas metas em relação à preservação ambiental. Não estamos falando de recursos dados nem doados. Falamos de financiamento internacional, disse.

Leia mais sobre aquecimento global

    Leia tudo sobre: aquecimento globalclimacopenhague

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG