China deve investir US$ 439 bi em proteção ambiental

A China deve investir mais de 3 trilhões de ienes (US$ 439 bilhões) em proteção ambiental em um período de cinco anos, a partir de 2011, informou hoje a imprensa estatal. O país é, atualmente, o que mais polui no mundo.

Agência Estado |

O vice-chefe do Ministério da Proteção Ambiental, Wu Xiaoqing, disse que um terço do total de investimentos será para os custos de operação das instalações de controle de poluentes. A informação foi divulgada pelo jornal estatal "Diário do Povo".

Os comentários vêm a público em meio às divergências em Copenhague para se fechar um acordo a fim de conter as mudanças climáticas. O acordo também serve para suceder o Protocolo de Kyoto, que expira em 2012. A China se comprometeu a reduzir suas emissões em 40% a 45% até 2020, tomando como base os níveis de 2005. Os especialistas notam, porém, que as emissões poderiam ainda dobrar, de acordo com as previsões econômicas chinesas.

A forte poluição é generalizada na nação asiática, que depende do carvão para 70% de suas necessidades energéticas, que seguem crescendo. A China se industrializou rapidamente nas últimas décadas, priorizando o crescimento econômico e deixando em segundo plano a proteção ambiental. Além disso, as crescentes vendas de carros e outras fontes de poluição contribuem para o problema. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: copenhague

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG