Combates no Afeganistão deixam cerca de 30 supostos terroristas mortos

Cabul, 13 mai (EFE).- Cerca de trinta supostos insurgentes morreram em uma operação de tropas internacionais e afegãs nesta quarta-feira na província de Kunduz, norte do Afeganistão, informaram nesta quinta fontes oficiais.

EFE |

Cabul, 13 mai (EFE).- Cerca de trinta supostos insurgentes morreram em uma operação de tropas internacionais e afegãs nesta quarta-feira na província de Kunduz, norte do Afeganistão, informaram nesta quinta fontes oficiais. Em comunicado, a Força de Assistência à Segurança no Afeganistão (Isaf, na sigla em inglês) explicou que uma força conjunta se deslocou na noite de quarta à localidade de Kharid-e-Olya, no distrito de Kunduz (no centro da província homônima) após receber informação dos serviços de inteligência de que os talibãs estariam "montando um grande ataque". Quando a força se aproximou do recinto suspeito, recebeu "fogo desde uma mesquita e das florestas circundantes e respondeu", afirma o comunicado. "Pouco depois, vários indivíduos armados correram e dispararam contra as tropas", que responderam ao ataque matando vários deles, acrescentou. Os talibãs, segundo a fonte, usaram rifles automáticos, morteiros e metralhadoras contra as tropas do Exército afegão e a Isaf, que bombardeou a zona, "mas não a mesquita, que sofreu danos leves". De acordo com esta versão, na operação foram eliminados "mais de duas dúzias" de insurgentes e "vários" foram detidos. Consultado pela agência Efe, o governador de Kunduz, Mohammad Omar, disse que o número de mortos na operação chegou a 30, entre eles "vários combatentes estrangeiros". "Nenhum civil ficou ferido nesta operação", afirmou a força da Otan, que no comunicado não confirma baixas próprias nem especifica a nacionalidade das tropas internacionais que participaram da nação. Em Kunduz, na fronteira com o Tadjiquistão, estão destacadas as tropas alemãs da Isaf. Nas últimas semanas, aconteceram grandes confrontos armados em uma província que vivia tempos de tranquilidade desde a queda do regime talibã em 2001. De acordo com Omar, a operação não teve participação de tropas afegãs ou alemãs, mas foi executada por soldados americanos, que, segundo seus relatórios, não sofreram baixas. No final de abril, Omar disse à Efe que os altos comandantes militares planejavam uma grande operação contra os talibãs em Kunduz nos próximos meses, quando é previsto o desdobramento de mil de soldados americanos na província. EFE lo-nt-ja/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG