Ivan Lessa: Blam! É primavera

Com a chegada do sol, tempo de entrar em forma: 75% dos policiais britânicos estão gordos demais

BBC Brasil |

selo

Basta ir até a janela e prestar atenção. À proximidade dos radiadores, nota-se que eles estão quentes demais, as árvores do jardim deram uma crescida quântica, os passantes carregam uma expressão algo sobre a espantada, citações de T.S. Eliot e trechos de velhas canções em línguas diversas correm desordenadamente pela cabeça.

De repente, com num poema da pior fase de Vinicius de Moraes, uma flor.

Depois não sabem porque um jogador de futebol africano de 23 anos tem uma síncope cardíaca no meio do campo ainda no primeiro tempo (se fosse no segundo tempo ou na prorrogação se entenderia).

A explicação é simples: todos os ponteiros de todos os barômetros indicam que faz, e continuará fazendo, sol e a temperatura ficará lá pelos 14 graus e daí em diante só tenderá a aumentar florescendo como um louco babando e trazendo na mão, destinadas a todos e a ninguém, begônias.

É primavera. Definitivamente primavera, apesar da proibição reinante que recomenda e admoesta os espíritos rurais de ir devagar no uso da mangueira para regar os jardins desta ilha à beira-mar plantada e, agora, se esgoelando para florescer.

Há uma certa pressa no ar.

Para ver quem correrá, dentro de alguns meses, os trechos escolhidos para carregar a tocha olímpica, na verdade uma escultura de um certo bom gosto que, como em festa de São João, leva no bojo a chama que representa as Olimpiadas de 2012.

"É fogo", diz em voz alta um intrujão alegre.

O mapa de Londres foi traçado, as pessoas escolhidas, resta torcer e esperar que ninguém tenha um enfarte durante a planejada festividade que, muitos, ocupados com outros aspectos primaveris da cidade (ir com namorada ao parque, beber cerveja no pub até cair), acham ligeiramente ridículo. "Homem que é homem", dizem para quem quiser ouvir, "quando arremessa dardo ou martelo é para matar".

Os policiais, que turista algum os chame de "bobbies", que eles não gostam, preferindo o mais respeitável, inda que pouco primaveril "constable", ainda guardaram uns hibernais quilos de excesso, o que lhes valeu um puxão de orelha e ordens de seus superiores para que, dentro do espírito olímpico reinante, para não falar da estação, devem emagrecer imediatamente.

Três quartos, sem janela para o Tâmisa, da força policial metropolitana, inclusive as mulheres, estão gordos demais. Ficou decidido que todos os policiais farão um teste anual de aptidão física e quem não passar, como aquele esportista que saltou em distância apenas uma poça de água do degelo, será descontado em 2.900 libras, uns R$ 8 mil, em seus vencimentos, caso os quilinhos a mais persistam.

Há ainda o risco de expulsão sumária caso o gorduchinho ou a gorduchinha persistam em ficarem envolvidos em suas banhas, por mais deliciosas que sejam, e que, agora, lembram alguém ainda vestido para o inverno que passou.

As autoridades policiais responsáveis pelas suas forças e pelo bem-estar da população deixaram claro que lipoaspiração ou ingestão de medicamentos proibidos por lei serão severamente punidos.

No mais, até onde se dá para ver, a primavera segue em frente: impávida, altaneira, comemorando jubileus, centenários e, cabotina, sua própria existência. Até que venham os desmandos do verão, a beleza ousada e melancólica do outono e, mais uma vez, para os que sobrarem, o inverno com seus dentes ferozes.

    Leia tudo sobre: ivan lessa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG