O biólogo Allan Savory acredita que o uso de animais é a solução para regenerar pastagens

Allan Savory durante sua palestra no TED: indo na contramão do conhecimento científico
Reprodução
Allan Savory durante sua palestra no TED: indo na contramão do conhecimento científico

O título deste artigo não está errado por mais estranho que ele pareça à primeira vista. A hipótese de que grandes rebanhos, por exemplo, de gado e ovelhas, são a melhor forma de reverter a desertificação das pastagens é do biólogo Allan Savory e foi apresentada recentemente no TED , o evento sobre tecnologia, arte e design para o qual os mais proeminentes cientistas, empresários, educadores, visionários olham quando querem se inspirar.

Desertificação é o processo de degradação de terras produtivas, normalmente causada pela atividade humana. Ele engloba a erosão do solo e perda de fauna e flora, com eventual extinção e invasão de espécies exóticas. A terra perde sua fertilidade e nada mais cresce, seja vegetação natural ou plantações agrícolas.

Leia também:
Ação do homem transformou floresta africana em savana
Diversidade de plantas no semi-árido é fundamental para atenuar o aquecimento

Em sua palestra, Savory basicamente afirma que o movimento de grandes rebanhos através uma região protege o ambiente e evita o processo de desertificação.

Ao atravessarem uma área, eles deixariam uma camada protetora de estrume, solo e poeira. Esta mistura seria a base para que o solo pudesse crescer novamente no ano seguinte. A técnica de fazer milhares de animais se moverem em bandos por terras degradadas de forma a mimetizar os grandes rebanhos de antigamente –que literalmente estavam se movendo em busca de comida e para escapar de predadores — foi batizada por Savory de “Holistic Management” (Manejo Holístico em tradução livre).

Conferência da ONU: Especialistas conseguem incluir desertificação na pauta da Rio+20

Processo atinge quase metade da superfície terrestre. Na imagem, desertificação na Etiópia
Getty Images
Processo atinge quase metade da superfície terrestre. Na imagem, desertificação na Etiópia

Mas durante décadas ele próprio pensou o contrário e foi responsável pela morte de 40 mil elefantes em parques nacionais da África. Afinal, a cartilha dos biólogos rezava que os grandes causavam a desertificação e não o contrário. "Foi a mais triste e maior tolice da minha vida. Irei carregá-la para o túmulo”, relembrou ele durante a palestra.

O manejo holístico ajuda ainda, segundo Savory, o clima ao evitar que seja usado fogo na tentativa de restaurar o solo, uma técnica que esgota a terra pois tira dela suas camadas básicas, além de jogar toneladas de carbono na atmosfera. Nas contas de Savory queima-se na África atualmente um bilhão de hectares ao ano e apenas um hectare sozinho joga sozinho na atmosfera mais poluentes que seis mil automóveis. Obviamente o manejo holístico também captura carbono ao reverter a desertificação.

Na página do Instituto Savory há diversos estudos de casos de reversão de desertificação na África, Austrália e América do Norte.

Se a hipótese de Savory vingará e salvará os solos do mundo ou não é uma questão que precisa ainda ser avaliada. Agora que é uma ideia muito, muito, interessante, isto é.

A apresentação de Savory, em inglês, pode ser assistida aqui .

Leia as outras colunas

*Alessandro Barros Greco é jornalista e engenheiro mecânico pela POLI-USP. Escreve sobre ciência desde 1998. Acredita que falar sobre ela ajuda as pessoas a viver melhor. Foi o terceiro brasileiro a receber a bolsa Knight Science Journalism Fellowship do Massachusetts Institute of Technology (MIT) 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.