Ordem partiu do Palácio do Planalto nos últimos dias

Em meio ao contingenciamento de recursos orçamentários, o Ministério da Saúde lidera o ranking de pagamentos de emendas parlamentares com R$ 3,9 bilhões executados até o último dia 6 de julho.

Na esteira, aparecem os ministérios da Agricultura (R$ 253 mi), Cidades (R$ 248 mi), Educação (R$ 156 mi), Integração Nacional (R$ 124 mi) e Defesa (R$ 113 mi). Segundo a oposição, a liberação ajudou a segurar o processo contra Temer na CCJ.

Deputados e senadores de SP foram agraciados com R$ 483 milhões no 1º semestre.  As bancadas mineiras destinaram (R$ 476 mi) em emendas. Integram o topo do ranking de emendas o Rio Grande do Sul (R$ 297 mi), Paraná (R$ 294 mi) e Bahia (R$ 252 mi).

Generoso

O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (PMDB-RS), tem sido generoso com a liberação de recursos para municípios gaúchos, e bem econômico com outros Estados. Na última semana, liberou R$ 2,3 milhões e R$ 1,2 milhão para Santo Ângelo (RS) e Santa Rita (RS), respectivamente, para aquisição de alimentos.

Para Pernambuco, por exemplo, foram destinados pouco mais de R$ 600 mil do chamado PAA (Programa de Aquisição de Alimentos).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.