Coligação de Agnelo processará Roriz e Bessa

Decisão decorre de insultos proferidos, no último final de semana, pelo aliado de ex-governador

Marcello Sigwalt - iG Brasília |

Indignada pela saraivada de insultos e acusações disparada pelo deputado federal Laerte Bessa (PSC), a coligação Um Novo Caminho, encabeçada por Agnelo Queiroz (PT), anunciou que entrará na Justiça contra o parlamentar e o ex-governador.

Candidato à reeleição, Bessa acusou o petista de “ter desviado milhões dos cofres públicos quando comandava o Ministério dos Esportes”.

No campo das ofensas pessoais, o deputado teria identificado Agnelo como “malandro” e “vagabundo”.

Aliado do rival do petista, Joaquim Roriz, Laerte Bessa é delegado de polícia de carreira e atingiu igualmente o PT, identificando no vermelho do partido “a cor de satanás”. 

A saraivada de ofensas de Bessa – de religião evangélica – marca uma mudança drástica no tom da campanha, antes morna e previsível. Não sobrou nem para a coligação de Agnelo, classificada de “corja de vagabundo” pelo candidato do PSC.

A reação da coligação de Agnelo veio rápida. O candidato petista e seu vice Tadeu Filippelli (PMDB) agora avaliam as medidas legais que serão empregadas contra Bessa e Roriz.

A intenção de Agnelo e Filippelli é definir de que forma seria necessário utilizar a força da lei para impedir o que consideram “uma forma equivocada de fazer política". 

Sem esconder a indignação com os insultos, Agnelo entende que o “costume de (Roriz) usar testas de ferro para se proteger das acusações e laranjas para esconder sua fortuna pessoal estão com os dias contados!”.

Na avaliação do ex-ministro, muitos dos aliados de Roriz “já estão presos e outros temem a justiça”. E sentencia: “Quem tem que ir para cadeia é ele (Roriz)”.

 Com informações do site do Jornal de Brasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG