Vaticano reprova testes com células retiradas de embriões

Academia Pontifícia para a Vida repudiou autorização dos EUA para testes clínicos em seres humanos com células tronco embrionárias

AFP |

O Vaticano qualificou neste sábado de "inaceitável" a autorização dada pelos Estados Unidos para a realização de testes clínicos em seres humanos utilizando células-tronco embrionárias.

"Apesar dos esforços feitos para negá-lo, a ciência segue afirmando que o embrião é um ser humano por nascer", disse monsenhor Elio Sgreccia, presidente emérito da Academia Pontifícia para a Vida (instituição da cúria romana), à Rádio Vaticano.

Os embriões são "sacrificados para se extrair as células-tronco e tudo isto, do ponto de vista ético, só pode receber um julgamento negativo".

A empresa americana Geron anunciou na sexta-feira ter recebido autorização da Food and Drug Administration (FDA, agência federal de medicamentos) para realizar os primeiros testes clínicos em seres humanos de uma terapia baseada em células-tronco embrionárias.

A Igreja católica rejeita a utilização de células-tronco retirada de embriões humanos, mas aceita as pesquisas com células obtidas a partir do cordão umbilical, intestino ou retina.

Os pesquisadores utilizam embriões congelados para fins reprodutivos para obter as células-tronco.

    Leia tudo sobre: igreja católicacélulas troncoembriões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG