Pedra com palavras em acádio cuneiforme é a mais antiga já encontrada na cidade e atesta sua importância na Idade de Bronze

Pedra com inscrições encontrada em Jerusalém
AFP
Pedra com inscrições encontrada em Jerusalém
A mais antiga inscrição encontrada até hoje em Jerusalém, um fragmento de uma tabuleta de argila de 3.400 anos de idade, foi descoberta recentemente na Cidade Santa, informaram nesta segunda-feira (12) os arqueólogos que fizeram a descoberta. Estima-se que ela foi escrita 600 anos antes do reinado de David na cidade.

O fragmento, de apenas 2 cm por 2,8 cm, possui uma inscrição em acádio cuneiforme, o idioma diplomático da época, e é um testemunho da importância que a cidade já tinha na Idade do Bronze, afirmam os arqueólogos. As únicas palavras que puderam ser reconhecidas foram "tu", eles e mais tarde.

A tabuleta foi encontrada na parte oriental da cidade, anexada por Israel depois da guerra de 1967, ao sul da esplanada das Mesquitas.

O texto do fragmento é muito pequeno para ser decifrado, pois, segundo o assiriólogo Wayne Horowitz, da Universidade Hebraica de Jerusalém, a excelente qualidade da escrita demonstra que "é obra de um escriba altamente qualificado, a serviço do rei de Jerusalém". Os cientistas aventam a hipótese de que poderia se tratar de uma correspondência entre esse rei e o faraó Akenaton.

Tabuinhas do mesmo tipo e da mesma época foram encontradas no final do século XIX no Egito. Nas que puderam ser decifradas, havia pedidos de ajuda enviados ao faraó por seus vassalos na Palestina.

(Com informações da AFP e AP)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.