Tiranossauro era maior do que se pensava

Fóssil encontrado em Dakota do Sul pesava, pelo menos, nove toneladas, 30% mais do que o calculado até agora

AFP |

3D3 Cinema
Reprodução de um tiranossauro: ele poderia ser maior ainda
O tiranossauro, um dos maiores carnívoros terrestres de todos os tempos, era mais pesado, e crescia mais rapidamente do que se pensava, destaca um estudo divulgado nesta quarta-feira.

Os cientistas que participaram da pesquisa projetaram digitalmente a massa corporal de cinco fósseis de tiranossauro, entre eles Sue, o animal em exposição no The Field Museum of Natural History, em Chicago, Illinois.

O esqueleto fossilizado mais completo e volumoso de um Tyrannosaurus rex de que se tem conhecimento foi encontrado em Dakota do Sul, no ano de 1990.

Segundo o estudo divulgado nesta quarta-feira (12), o réptil pesava pelo menos nove toneladas, 30% mais do que o calculado até agora, e media 3,5m de altura e 13m de comprimento.

"Sabíamos que ele era grande, mas um aumento de 30% em seu peso é algo inesperado", destacou Peter Makovicky, funcionário do Field Museum e um dos principais redatores da publicação americana especializada em ciência "PLoS One".

Leia mais:
Encontrado parente peso-pluma do tiranossauro
Cientistas comprovam que aves herdaram olfato dos dinossauros
Genealogia mostra que tiranossauros já foram do tamanho de cães
Descoberta do tiranossauro Sue comemora 20 anos

Ao contrário dos métodos empregados até agora, a nova fórmula utiliza esqueletos fossilizados montados para indicar, com o uso da informática, a massa corporal desses dinossauros bípedes, que desapareceram há 65 milhões de anos. As estimativas anteriores baseavam-se em modelos que levavam em conta apenas os esqueletos - o que pode aumentar até os menores erros -, ou em animais vivos, porém dotados de corpos muito diferentes do dos dinossauros", explicou Makovicky.

O novo enfoque também leva em conta três modelos, que consideram três tipos de dinossauro: os bem-alimentados, os desnutridos e os obesos, segundo as variações inerentes à natureza. "Isso permite evitar escolher um resultado de forma arbitrária", destacou Karl Bates, da Universidade de Liverpool, Grã-Bretanha, que participou do estudo.

Os cientistas descobriram ainda que o tiranossauro crescia duas vezes mais rapidamente do que se pensava, somando até 1.790kg por ano durante a fase de crescimento. Esse desenvolvimento rápido, até chegar a um tamanho gigantesco, foi obtido em detrimento de sua agilidade, destacaram os autores do estudo.

Ao crescer, o torso do tiranossauro se alongava e se tornava mais pesado, enquanto suas extremidades permaneciam relativamente curtas e leves, deslocando o centro de gravidade para a frente.

    Leia tudo sobre: euapaleontologiatiranossauro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG