Terremoto duplo causou tsunami no Pacífico Sul

Dois estudos separados concluíram que desastre de setembro de 2009 foi causado por dois tremores no oceano

AP |

AP
Tsunami do ano passado causou inundações como esta em rua de Samoa Americana
O tsunami que atingiu várias ilhas do Pacífico Sul no ano passado foi fruto não de um mas de dois terremotos gigantes, revela um novo estudo divulgado hoje (18).

Inicialmente, acreditava-se que um tremor único de 8,1 pontos na escala Richter iniciou o tsunami de 29 de setembro que vitimou quase 200 pessoas nas ilhas de Tonga, Samoa e Samoa Americana.

Duas equipes usando técnicas diferentes chegaram, separadamente, à conclusão que o desastre foi resultado de um raro tremor duplo -- dois terremotos de mais de 8 pontos Richter – que aconteceram com minutos de diferença um do outro.

O que é notável, dizem os cientistas, é que os terremotos acontecerem em falhas sismológicas diferentes e romperam o solo de maneiras diversas. O estudo com a descoberta foi publicado hoje na revista científica Nature.

Passando despercebido
Quando o solo marinho do Pacífico Sul tremeu no ano passado, geólogos inicialmente responsabilizaram um terremoto de 8,1 pontos, causado pela movimentação da placa tectônica do Pacífico. Mas as ondas do tsunami não chegaram nos horários previstos e os pequenos tremores não se aglomeram ao redor do principal, como fariam normalmente. Isso sugeriria que algo mais complicado teria acontecido.

Usando dados de GPS e observações de ondas, o grupo liderado pelo geofísico John Beavan, da agência geológica neozelandesa GNS Science determinou que o tsunami foi gerado a partir de dois terremotos fortes – o de 8,1 pontos e mais outro choque, de 8 pontos, causado pela colisão das placas tectônicas.

Enquanto o grupo de Beavan não conseguiu definir qual veio primeiro, outro grupo, coordenado por Thorne Lay da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, concluiu que o terremoto de 8,1 pontos causou o segundo. As vibrações dele eram tão fortes que disfarçaram a energia emitida pelo segundo tremor. “Ele até aparece nos registros sísmicos, mas só se você procurar com afinco,” disse Lay.

Outros cientistas, sem envolvimento com as pesquisas, afirmam que a descoberta esclarece o que aconteceu no Pacífico Sul, porém mais estudos são necessários. “É difícil afirmar o quão típico na região esse comportamento pode ser,” disse o geofísico Paul Earle, do serviço geológico dos Estados Unidos. Segundo Earle, terremotos acontecem entre longos períodos de tempo e instrumentos modernos não estavam disponíveis em terremotos anteriores desta magnitude. 

    Leia tudo sobre: terremotopacífico sulsismologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG