Terra receberá chuva de meteoros neste sábado

Fenômeno será de grande intensidade e terá melhor visualização no hemisfério Norte

iG São Paulo |

Está previsto para sábado (8) o pico de uma chuva de meteoros que poderá ser vista de diferentes pontos do planeta, segundo a agência espacial americana. "Previmos até 750 meteoros por hora" disse Bill Cooke, do Escritório de Meteoros da Nasa, que informou que o fenômeno poderá ser observado no Oriente Médio, norte da África e algumas partes da Europa.

A chuva de meteoros Dracônidas é provocada pelos detritos que se desprendem do cometa 21P/Giacobini-Zinner. Aproximadamente a cada seis anos e meio, o cometa completa uma órbita ao redor do Sol e em seu percurso deixa um rastro de pó, que com o tempo forma uma rede de filamentos com os quais a Terra se encontra sempre no início de outubro.

Leia mais:
Chuva de meteoros Perseidas risca o céu em agosto
Chuva de meteoros geminídeos é vista em dezembro de 2010
Chuva de meteoros provocada pelo Halley é observada em maio


"Quase todos os anos nosso planeta passa através dos espaços entre os filamentos, talvez de raspão com um ou dois", embora nem sempre com a mesma proximidade, explicou Cooke. "De vez em quando, no entanto, quase colidimos de frente com algum, e assim começam os fogos de artifício", acrescentou o cientista, apontando que isto talvez ocorra este ano.

João Paulo Delicato, diretor do Planetário de São Paulo, explica que o fenômeno não tem boa visualização no Brasil, pois a chuva de meteoros tem a constelação de Dragão como radiante – local de onde o fenômeno parece surgir - , que é pouco vista no hemisfério Sul.

Ele afirma que com sorte observadores do Brasil poderam ver alguma estrela cadente. "Olhe em direção ao Norte, em um lugar com pouco prédios, a partir das 22h de sábado, que é possível ver alguma coisa", disse.

Especialistas da Nasa e de outras partes do mundo acham que a Terra se dirige a três ou mais filamentos e o encontro calculado para este sábado provocará uma série de explosões que poderão ser vistas a partir das 19h (de Brasília), com o apogeu entre às 22 e 24h.

O que se vê da Terra, denominado comumente como "estrelas cadentes" é o pó e os fragmentos originados pela passagem dos cometas ao redor do Sol, que ao entrar em contato com a atmosfera se incendeiam, dando lugar à chuva de meteoros. Os meteorologistas não têm certeza de quão forte será o impacto e a posterior chuva. Alguns especialistas, como o meteorologista Paul Wiegert, da Universidade canadense Western Ontario, consideram que poderiam cair até mil meteoros por hora, o que a transformaria em tempestade.

(com informações da EFE)

    Leia tudo sobre: espaçochuva de meteoros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG