Estudo irá contextualizar a evolução de planetas em torno de estrelas

Os discos protoplanetários em torno do do centro (cor branca) e a estrela LkCa 15 no meio (círculo preto em volta): sistema solar em formação
MPIA (Christian Thalmann)/NAOJ
Os discos protoplanetários em torno do do centro (cor branca) e a estrela LkCa 15 no meio (círculo preto em volta): sistema solar em formação
Os detalhes da formação do sistema solar intrigam os astrônomos. Há anos eles buscam enxergar como que os chamados discos protoplanetários (discos de poeira e gás em torno de estrelas jovens) dão origem a sistemas planetários.

Recentemente um grupo de astrônomos conseguiu as primeiras imagens nítidas de dois sistemas em formação de tamanho similar ao sistema solar utilizando o telescópio Subaru, no Havaí. “Tivemos de usar a chamada óptica adaptativa para retirar a influência da atmosfera da Terra e conseguir imagens mais claras. Isso foi possível por conta da excelente performance do Subaru juntamente com nossa longa experiência com dados similares do telescópio VLT no Chile”, explicou ao iG Thomaz Henning, um dos líderes do projeto SEEDS que busca explorar exoplanetas e discos de poeira e gás com o Subaru, e professor do Instiuto Max Planc de Astronomia, na Alemanha. E completou: “Discos protoplanetários são os berços dos planetas em torno de estrelas. Estudá-los nos dá grandes percepções de como o sistema solar se desenvolveu quando era jovem e também coloca a evolução dele em contexto.”

A criação de sistemas planetários similares ao nosso, no entanto, tem muito pouco de especial. É um evento até trivial no universo. A poeira e o gás que estão em volta de um estrela jovem vão sendo compactados em discos pela gravidade dela até terem força gravitacional suficiente para que seus corpos sejam comprimidos e formem o que chamamos de planetas. E tudo ocorre de forma simultânea. Enquanto uns estão no estado de protoplanetas, outros já chegaram ao estágio de planetas. “Gostaríamos de ver planetas e discos protoplanetários juntos em um mesmo sistema. Além disso, queremos estudar a composição do gás e a interação disco-planeta com a entrada em operação do telescópio ALMA no Chile”, afirmou Henning.

As imagens obtidas pelo Subaru são da estrela LkCa 150, que está na constelação de Touro a 450 ano-luz da Terra, e da estrela AB Aur, na constelação do Cocheiro a 470 anos-luz da Terra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.