Solitário, gorila virgem ganha companheiras em Belo Horizonte

Idi Amin era o único na América do Sul. Agora, ganhou duas inglesas com quem, espera-se, dê uma força à continuação da espécie

Denise Motta, iG Minas Gerais |

AE
O gorila Idi Amin recebe uma de suas novas companheiras no zoológico de Belo Horizonte
Na próxima vez que você achar que sua vida é uma droga, lembre-se do gorila Idi Amin: ele está sozinho na América do Sul, é virgem aos 38 anos e foi batizado com o nome de um dos mais sanguinários ditadores da África, que governou Uganda de 1971 a 1979 (sua história é contada no filme "O Último Rei da Escócia" ). E, na próxima vez que você achar que não há solução, saiba que até para o caso dele existem, digamos assim, possibilidades.

Leia também: Gorila que anda como ser humano se torna sensação na internet

Há 27 anos sem ver um semelhante e solitário no continente desde 2005, quando Virgulino, que morava no zoológico de São Paulo, morreu, seus dias de solidão acabaram com a chegada de duas gorilas da Inglaterra: Imbi e Kifta, de 11 anos. As duas vieram para a capital mineira no dia 19 de agosto e, antes do encontro com Idi Amin, permaneceram 36 dias em quarentena (e em tratamento de beleza), explica o diretor da Fundação Zoobotânica Evandro Xavier.

Elas passaram por exames de radiografia, sangue, urina, oftalmológico e odontológico. Depois tiveram uma apresentação visual e de cheiro”

“Elas passaram por exames de radiografia, sangue, urina, oftalmológico e odontológico. Depois tiveram uma apresentação visual e de cheiro. Os gorilas gostam de viver em bandos e já estamos extremamente satisfeitos em acabar com a solidão do Idi Amin”, afirma Xavier ao iG .

Ele também disse que foram investidos R$ 470 mil no procedimento para acabar com a solidão do gorila, inluindo os transportes das gorilas e o processo de adaptação. Deste montante, R$ 270 mil foram da iniciativa privada e o restante da Prefeitura de Belo Horizonte. O recinto onde o gorila vive tem dois mil metros quadrados - tão grande quanto uma casa de luxo na capital mineira - e passou por uma reforma para receber as moradoras inglesas.

O diretor do zoológico conta que Idi Amin nasceu na França e, em 1975, com dois anos, saiu de um zoológico no interior do país rumo à capital mineira - quando foi acometido por uma série de tragédias.

A princípio, ele teve como companheira Dada, que morreu três anos depois devido a uma infecção. “Nessa época os dois não tinham maturidade sexual”, explica o responsável pelo zoológico. Idi Amin recebeu, então, Cleo, que após 14 dias morreu por desidratação. “O gorila é virgem, nunca procriou e seria muito importante termos uma linhagem. Os gorilas são animais extremamente ameaçados, pois são de origem africana, onde há guerras, fome e tráfico de animais”, conta Xavier. 

Nesta quinta-feira (29), o público acompanha de perto o primeiro contato de Idi com as novas namoradas e, pelas primeiras imagens, há esperanças de que a espécie vai ter vida longa na América do Sul.

    Leia tudo sobre: belo horizontezoológicogorila

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG