Senso de direção é inato, diz estudo

Estudo com ratos mostra que direcionamento especial está presente desde o nascimento e não há diferença entre os sexos

The New York Times |

O senso de direção parece ser inato desde o nascimento, concluiu um novo estudo com ratos. Pesquisadores do Kavli Institute, da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia implantou sensores em miniatura em filhotes de ratos enquanto ainda eram pequenos demais para se mover, e registraram sua atividade neurológica quando deixaram o ninho pela primeira vez para explorer um novo ambiente.

As leiruras mostraram que os ratinhos tinham neurônios de navegação funcionando desde o início, e essas células apenas amadureceram com o tempo – as primeiras foram as células que registravam os movimentos da cabeça, para informar ao animal em qual direção ele andava.

“Esses neurônios eram como o de adultos desde o início,” afirmou a pesquisadora Rosamund Langston, em um comunicado da universidade.

Os próximos a amadurecer foram os neurônios de localização, no hipocampo, que representam um lugar específico no ambiente e pssam informações contextuais que possam ser ligadas a ele. As últimas foram as células que informam ao rato onde ele está no espaço e quanto ele andou, de acordo com o estudo.

As descobertas sugerem que “existe um sistema de navegação básico disponível assim que você pode começar a explorer seu ambiente, “ disse Langston. Não houve diferença entre filhotes machos e fêmeas, o que indica que ambos os sexos têm esse sistema básico, e nenhum deles tem melhor senso direção inato que o outro. A diferença acontece por conta de experiências individuais, sugere os autores do estudo.

    Leia tudo sobre: senso de direçãoratosneurologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG