Segredos do relógio biológico são revelados por fios de cabelo

Pesquisador descobre que gene presente no folículo capilar é ativado em horários diferentes em pessoas matutinas e vespertinas

National Geographic |

National Geographic
Homem toma café de manhã : genes do relógio biológico são ativados em horários distintos dependendo de cada pessoa
Os mistérios do ciclo do sono podem ser desvendados por meio dos cabelos, de acordo com um novo estudo. Isto porque os genes que regulam o nosso relógio biológico podem ser encontrados em células do folículo capilar, pesquisadores descobriram.

Uma pequena porção do cérebro chamada núcleo supraquiasmático controla o relógio do corpo humano, e o RNA processa esses sinais em todo o corpo em ciclos de 24 horas. Filamentos de RNA contendo genes do relógio biológico são encontrados em todo o corpo, incluindo leucócitos do sangue e do interior da boca. Porém, os cabelos são mais fáceis de serem testados por cientistas.

Makoto Akashi, do Instituto de Pesquisa e Estudos do Tempo da Universidade Yamaguchi, no Japão, coletou amostras de cabelos e da barba de quatro indivíduos quatro vezespor dia, em intervalos de três horas. As pessoas já haviam relatado aos pesquisadores quais eram os seus horários preferidos para acordar, comer e dormir.

O dia do teste ocorreu depois de os indivíduos respeitarem rigorosamente os seus horários preferidos por nove dias - em outras palavras, as pessoas matutinas acordaram cedo todos os dias, e as pessoas mais ativas no fim da tarde e à noite acordaram tarde todos os dias.

Quando os investigadores testaram os genes nos folículos dos sujeitos, eles descobriram que a genes do relógio biológico tiveram picos de ativação logo após o sujeito acordar, independentemente se era seis ou dez da manhã. Isto sugere que o cérebro "liga" os genes em momentos diferentes da manhã em uma pessoa e outra. Outros genes do relógio biológico seguiram padrões semelhantes, tornando possível prever se as pessoas são matutinas, disse o estudo.

Como a maioria das pessoas na idade adulta já deve saber se prefere acordar cedo ou dormir tarde, a nova pesquisa também pode fornecer critérios sobre a saúde humana, disseram pesquisadores. Distúrbios no relógio biológico têm implicado em pressão arterial alta, diabetes e câncer.

Os pesquisadores também estudaram por três semanas amostras de cabelo de pessoas que trabalham em turnos trocados, que têm o maior risco de disfunções no relógio biológico. Durante o período da pesquisa, os trabalhadores alternaram turnos matutinos (6h-15h) e turnos noturnos (15h-0h). No período de três semanas não foi o suficiente para que o relógio interno dos trabalhadores se adaptasse, de acordo com análises dos genes capilares.

Mesmo que o estilo de vida dos trabalhadores tenha sido adiado por sete horas, a atividade dos genes capilares foi retardada por apenas duas horas - o que sugere que as pessoas que trabalham em turnos trocados vivem em um estado de "jet lag" permanente, disse o estudo.

O teste do folículo capilar pode ser usado para criar "condições de trabalho que não perturbem a função de relógio" com a construção em tempo suficiente para se adaptarem, os autores escreveram.

    Leia tudo sobre: sonorelógio biológico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG