Satélites auxiliam no crescimento da uva ideal

Sistema visa aumentar a produção de uva e vinho, ao mesmo tempo que reduz o consumo de água

iG São Paulo |

Caren Jarmain, UKZN
Na imagem, uma das videira, na África do Sul, que usaram o sistema
Um serviço de satélites da Agência Espacial Europeia (ESA, da sigla em inglês) está ajudando na melhora da produção de vinho. Medições de satélite dão a informação necessária para que os produtores possam decidir a quantidade ideal de água para o plantio da uva.

O serviço usa tecnologia que combina dados de observação da Terra e medições no terreno. Os valores de humidade do solo são enviados em tempo real para um centro de processamento através de uma ligação por satélite.

Para fazer uma gestão eficiente da água, os agricultores precisam de informação sobre a produção e consumo de água. O GrapeLook usa dados recolhidos por satélite para monitorizar a quantidade de água libertada pelas plantas, a quantidade de biomassa que cresce e a eficiência na utilização da água.

Leia mais:
Futuro de vinícolas 'depende de novas variedades de uva'
Estudo sugere que vinho caro é desperdício
Servir champanhe com a taça inclinada dá sabor à bebida

Processada toda esta informação, os mapas são colocados online, à disposição dos vinicultores e responsáveis pela rega através de um site baseado no Google Maps.

África do Sul
O GrapeLook foi testado este ano com um grupo de vinicultores de África do Sul. Os agricultores ligavam-se ao website com regularidade para verificar o estado da sua vinha.

O grupo também recebia previsões sobre a hidratação do solo e a necessidade de irrigação dos seus terrenos. O serviço ajudou a identificar práticas mais eficientes e poderá contribuir para a redução dos custos, com a mão-de-obra, por exemplo.

O sistema deve aumentar a produção de uva, ao mesmo tempo que aumenta a qualidade do vinho – tudo isto baixando o consumo de água.

“Durante a fase de testes deste projecto os agricultores e as entidades gestoras dos recursos hídricos mostraram um claro apoio a um serviço desta natureza,” explica Olivier Becu, do gabinete técnico da ESA.

“Pode demorar alguns anos até que as comunidades de agricultores se apercebam das vantagens deste sistema e aprendam a confiar nele, mas para já, as autoridades sul-africanas estão dispostas a oferecer o serviço GrapeLook por mais uma estação.”

    Leia tudo sobre: vinho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG