Rússia comemora conquista do espaço por Gagarin há 50 anos

Presidente russo, Dmitri Medvedev, declarou ter orgulho de pertencer ao país que deu o primeiro passo ao espaço

AFP |

A Rússia celebra com grande pompa nesta terça-feira (12) o aniversário do primeiro voo realizado em 12 de abril de 1961 por Yuri Gagarin, o primeiro homem a viajar ao espaço. Gagarin continua sendo um herói nacional e o símbolo do predomínio soviético na conquista do espaço.

O presidente russo, Dmitri Medvedev, declarou-se "orgulhoso por pertencer ao país que deu esse primeiro passo no espaço". A televisão russa difundiu nesta terça-feira imagens de arquivo desse voo histórico.

Em 12 de abril de 1961 às 09H07 de Moscou, Yuri Gagarin decolou do cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão) a bordo de um foguete Vostok depois de pronunciar um "Vamos!" que entrou para a história.

Seu voo ao redor da Terra durou 108 minutos.

Este primeiro voo espacial de um ser humano "foi um acontecimento absolutamente revolucionário, extremamente simbólico. Foi um imenso êxito do setor espacial soviético, e uma passagem entre o 'antes' e o 'depois'", declarou Medvedev em uma entrevista ao canal chinês CCTV, cujo texto foi publicado pelo Kremlin.

O presidente russo visitará o Centro de Controle de Voo Espaciais (Tsoup), perto de Moscou, para manter uma conversa à distância com a tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS). Pronunciará depois um discurso em uma cerimônia organizada no Kremlin, onde condecorará cosmonautas e veteranos da conquista espacial.

À noite, estão previstos em Moscou a queima de fogos de artifício para comemorar a façanha de Gagarin.

O primeiro cosmonauta da história continua sendo para os russos "a personalidade do século XX mais interessante", segundo as pesquisas.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, que se encontra em visita a Kiev, se reunirá com cosmonautas russos e ucranianos nesta antiga república soviética, que também comemora o aniversário do voo de Gagarin.

"Gagarin é um homem que mudou o mundo", declarou Putin.

"O voo de Gagarin deu um impulso a toda a humanidade", foi a manchete de hoje do jornal oficial Rosiskaya Gazeta.

O jornal popular Komsomolskaya Pravda consagrou à data uma edição especial que publica a carta escrita por Gagarin para ser entregue a sua família caso morresse em voo.

O jornal opositor Novye Izvestia lamenta, por sua parte, que 50 anos depois o ofício de cosmonauta tenha "perdido sua glória e seu romantismo".

A Casa Branca também enviou felicitações aos russos pelo êxito histórico do primeiro voo de Gagarin, que nessa época, em plena Guerra Fira, foi considerado um revés para o programa espacial americano.

Meio século depois, a Rússia continua sendo importante para que homens sejam enviados ao espaço e é a líder mundial de lançamentos de satélites.

A Rússia passará a ser este ano o único país capaz de transportar astronautas à ISS, já que a Nasa está tirando de funcionamento seus ônibus espaciais.

"Como há meio século, a Rússia conserva sua posição predominante na exploração do espaço", afirmou o chefe da agência espacial Anatoli Perminov.

No entanto, a indústria espacial russa vive, em grande parte, dos êxitos da época soviética. Depois do desaparecimento da URSS, Moscou se encontrou na incapacidade de financiar o setor espacial e os programas russos atuais sofrem com essa limitação de financiamento.

    Leia tudo sobre: Espaço50anosRusiaGagarinhistoria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG