Pesquisadores norte-americanos desenvolvem "biópsia líquida"

Novo exame de sangue permitiria diagnosticar tumores mais cedo

Reuters |

A Johnson & Johnson e uma equipe de pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts estão desenvolvendo um exame de sangue que vai identificar e capturar células cancerosas e possivelmente ajudar a diagnosticar a doença mais cedo.

Células cancerosas podem se descolar de um tumor e circular pelo sistema sanguíneo. Mas essas células, conhecidas como células tumorais circulantes (CTC), são raras e difíceis de serem capturadas e estudadas.

A Johnson & Johnson já tem um exame disponível no mercado norte-americano, mas pesquisadores afirmam que sua utilidade é baixa porque só atinge um número limitado de células.

A empresa espera que um novo avanço na pesquisa supere algumas das limitações existentes.

"A equipe do Hospital Geral de Massachusetts já desenvolveu um chip microfluídico capaz de capturar CTCs com um alto índice de eficiência", disse o hospital em comunicado.

"No entanto, a tecnologia em desenvolvimento com a Johnson & Johnson é baseada em uma nova plataforma tecnológica e terá como objetivo uma sensibilidade maior, assim como a sustentabilidade para aplicações mais amplas e a disseminação imediata."

Cerca de 25 empresas de tecnologia diferentes tentam desenvolver exames para as células CTC, desde pequenos laboratórios até grandes companhias multinacionais.

Pesquisadores acreditam que se as células cancerosas no sangue forem detectadas antes de atacarem outros órgãos, os médicos poderão impedir que o câncer se espalhe.

    Leia tudo sobre: biópsia líquidaexame de sanguecâncer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG