Estudo revela como elas ficam resistentes aos antibióticos e causam mortes em pacientes hospitalizados

Uma equipe de pesquisadores taiuaneses anunciou hoje a descoberta de como os estafilococos da pele desenvolvem resistência aos antibióticos e causam tantas mortes entre os pacientes hospitalizados.

O Staphylococcus epidermidis vive na pele das pessoas saudáveis sem causar danos, mas é fatal para pacientes hospitalizados com baixas defesas ou com qualquer tipo de implante cirúrgico, disse hoje em entrevista coletiva o diretor da equipe, Andrew H.J. Wang.

"A bactéria se protege das defesas do corpo e dos antibióticos com a produção de um biofilme, que se desenvolve porque os antibióticos bloqueiam uma proteína", assinalou Wang, vice-presidente da Academia Sínica.

Agora o desafio é desenvolver remédios que evitem o bloqueio dessa proteína e o conseguinte desenvolvimento da camada que protege a bactéria das defesas do corpo, disse o pesquisador.

"Esperamos pelo desenvolvimento de remédios, com a ajuda da biologia estrutural, que não provoquem a desativação da proteína (TcaR)", apontou Wang.

Outra solução para o problema é revisar os antibióticos disponíveis para ver se alguns não interagem com o TcaR, acrescentou especialista.

O artigo sobre esta pesquisa, chamado "Um estudo estrutural do TcaR e seus complexos com múltiplos antibióticos do estafilococos da pele" e se publicou em inglês na revista acadêmica "Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS)", em 27 de abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.