Pesquisadores e militares que estavam na Antártida voltam ao Brasil

Grupo estava na base brasileira atingida por incêndio no último sábado

iG São Paulo |

AE
Avião C-130 da FAB trazendo pesquisadores e militares chegou às 21 horas ao Rio Grande do Sul

Após cerca de cinco horas de voo que partiu da cidade chilena de Punta Arenas, chegou a Pelotas, no Rio Grande do Sul, às 21 horas (hora de Brasília) deste domingo o avião C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) trazendo as 45 pessoas que trabalhavam na Estação Antártica Comandante Ferraz, atingida por um incêndio no sábado. O acidente culminou na morte de dois militares, destruiu mais da metade das instalações e resultou ainda na perda de importante material de pesquisa.

Segundo nota da Força Aérea, quatro pesquisadores desceram na cidade gaúcha e, ainda nesta madrugada, o avião com 41 profissionais segue viagem até a base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, onde serão recepcionados por familiares e autoridades como o ministro da Defesa Celso Amorim e o comandante da Marinha Júlio Soares de Moura Neto.

O primeiro-sargento Luciano Gomes Medeiros, ferido no incêndio, será levado direto da pista para o Hospital Naval Marcílio Dias, no bairro Lins de Vasconcelos, localizado na zona norte do Rio.

Dentre os familiares, está Vilma Mariana, mulher de Jadsson Mariano, 58 anos, que trabalha na manutenção da Estação e estava desde novembro na missão. Ela conta ter recebido ligação do marido informando que houve um “probleminha” na Estação e que, por isso, ele estaria voltando.

“Fiquei mais calma com a ligação, pois se eu tivesse visto as imagens do incêndio e não tivesse recebido notícias dele, teria entrado em pânico.” Eles estão casados há mais de 30 anos e tem três filhos e um neto.

* Colaboração de Anderson Ramos, especial para o iG Rio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG