Ácido fenilacético presente nas frutas estimula o apetite sexual dos insetos, afirmou grupo internacional de pesquisadores

Drosophila melanogaster: cheiro de frutas ativa neurônios da excitação sexual
Getty Images
Drosophila melanogaster: cheiro de frutas ativa neurônios da excitação sexual
Uma equipe internacional de cientistas descobriu que os aromas das frutas, que contêm ácido fenilacético, ativam nas moscas macho um receptor molecular que serve para estimular seu apetite sexual, informou nesta quarta-feira o Centro Nacional de Pesquisas Científicas da França (CNRS).

Cheiros como o do mel, das frutas e das flores ativam o receptor molecular olfativo Ir84a, situado entre as antenas dos machos das moscas-das-frutas ( Drosophila melanogaster ), revela a pesquisa elaborada pela Universidade da Borgonha (França), Universidade de Lausanne (Suíça) e uma equipe britânica de Cambridge.

Leia também:
Lágrimas de camundongos têm poder afrodisíaco


"A percepção do perfume pelo receptor acaba por ativar 30 neurônios específicos que aciona um circuito neuronal específico, gerando uma sobreexcitação sexual da mosca macho", explica o CNRS.

O receptor Ir84a "mantém os neurônios sensoriais ativos de maneira permanente, inclusive sem o cheiro, para que as moscas macho possam formar um casal potencial", afirmam os pesquisadores. Por outro lado, se "a expressão do receptor for suprimida, a atividade sexual das moscas diminui sensivelmente, com ou sem cheiro", completam.

"Trabalhos suplementares permitirão descobrir eventualmente mecanismos similares entre outras espécies animais", acrescenta o CNRS francês. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.