Peças incas de Machu Picchu voltam ao Peru após quase 100 anos

Relíquias serão exibidas no Palácio do Governo, em Lima, e depois serão enviadas para Cusco

EFE |

O primeiro lote de 363 peças incas de Machu Picchu chegou nesta quarta-feira (30) a Lima procedente da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. O conjunto de peças volta quase 100 anos depois de ser retirado pelo explorador americano Hiram Bingham do sítio arqueológico.

Um porta-voz do Ministério da Cultura peruano afirmou que as 363 peças, que estavam em poder da universidade americana, foram transportadas por um avião de carga e estão em condições de serem exibidas imediatamente.

As peças arqueológicas permanecem na zona alfandegária do Aeroporto Internacional de Lima e seguirão nas próximas horas para o Palácio de Governo do Peru, onde serão recebidas pelo presidente do país, Alan García.

O transporte será realizado em meio a uma grande operação de segurança da qual participarão 600 policiais, segundo declarou o general da polícia Raúl Salazar, chefe da direção de Segurança do Estado.

"Vamos ter uma forte segurança para chegar ao Palácio de Governo e as peças serão transferidas em três caminhões", detalhou.

O ministro da Cultura peruano, Juan Ossio, anunciou nesta terça-feira (29) que o presidente Alan García fará uma pausa na reunião do Conselho de Ministros para receber as peças, que deverão permanecer dentro de suas caixas durante 48 horas.

As peças não serão exibidas até a próxima semana, já que os requerimentos técnicos estabelecem que as caixas só poderão ser abertas dentro de dois dias e em seguida será feito um inventário detalhado das mesmas.

A partir da segunda-feira, e durante sete dias, as peças serão exibidas no Palácio de Governo e depois serão enviadas à Casa Concha da cidade de Cuzco, onde permanecerão até a construção do "Grande Museu do Tahuantinsuyo".

O governo peruano e a universidade de Yale acertaram no ano passado que este primeiro lote de peças voltaria ao Peru para comemorar o centenário da chegada de Bingham à cidadela inca.

O acordo foi fechado depois de uma negociação em meio a um litígio judicial e uma campanha internacional iniciada pelas autoridades peruanas para conseguir a devolução total de 46.332 peças e fragmentos encontrados por Bingham em Machu Picchu.

O explorador levou as peças a Yale após suas expedições de 1912 e 1915 na qualidade de empréstimo, mas elas nunca foram devolvidas ao Peru.

O acordo também estabelece que as demais peças, restos e fragmentos procedentes de Machu Picchu deverão ser entregues de maneira progressiva por Yale até completar o total no final de 2012.

    Leia tudo sobre: PERUARQUEOLOGIA (Ampliação)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG