Novas imagens revelam detalhes de galáxias em espiral

Fotos ajudarão a entender formação das galáxias

BBC Brasil |

selo

ESO
Imagens das galáxias captadas pelo VLT: câmera infravermelha mostra detalhes inéditos
O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês) revelou nesta quarta-feira novas imagens que podem ajudar os cientistas a entender o padrão de formação de galáxias. Seis galáxias que já eram conhecidas dos estudiosos foram fotografadas em mais detalhes, "sem os efeitos confusos de poeira e gases", segundo um comunicado do ESO.

Um porta-voz da instituição disse à BBC Brasil que a análise das fotos facilitará o estudo do vasto número de estrelas que compõem as espirais dessas galáxias, a partir de modelos de computadores. As novas imagens foram feitas com uma câmera chamada Hawk-1, sensível à luz infravermelha, "o que significa que muito da poeira que obscurece os braços espirais das galáxias fica transparente aos detectores", disse o ESO.

Melhor definição
Comparada à câmera Isaac, mais antiga e ainda utilizada pelo ESO, a Hawk-1, adquirida em 2007, tem 16 vezes mais pixels (unidades de definição) para cobrir uma área muito maior do céu em uma única tomada.

Entre as galáxias fotografadas está a NGC 5247, localizada na constelação de Virgem no Zodíaco, entre 60 e 70 milhões de anos-luz. A galáxia tem forma de espiral.

Já a galáxia Messier 100 (NGC 4321), descoberta no século 18, fica a 55 milhões de anos-luz da Terra e se destaca por "braços de espirais bem definidos e proeminentes".

As imagens são parte de um estudo conduzido pelo cientista Preben Grosbol e foram feitas a partir do telescópio VLT (Very Large Telescope), do ESO, no observatório de Paranal (Chile). O ESO é um observatório intergovernamental financiado por 14 países europeus e sediado em Garching, Alemanha.

    Leia tudo sobre: espaçogaláxiaseso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG