Nobel de Química premia técnica para formar moléculas de carbono

Americano Richard Heck e os japoneses Ei-ichi Negishi e Akira Suzuki dividiram o prêmio

iG São Paulo |

Reuters
Anúncio dos vencedores do Nobel de Química 2010: Richard Heck, Ei-ichi Negishi and Akira Suzuki dividiram o prêmio

O cientista americano Richard Heck e os japoneses Ei-ichi Negishi e Akira Suzuki são os vencedores do Prêmio Nobel de Química 2010 por seus trabalhos sobre as reações do carbono, comunicou hoje (6) a Academia Real de Ciências da Suécia.

Os três pesquisadores foram premiados por desenvolverem separadamente três reações químicas distintas sobre o acoplamento cruzado do paládio catalisado, que é utilizado nas pesquisas e na produção farmacêutica industrial. O estudo dos três cientistas abriu o caminho para tratamentos contra o câncer, assim como para produtos eletrônicos e plásticos revolucionários, detalhou a argumentação da Academia sueca.

"Estas ferramentas químicas melhoraram enormemente as possibilidades dos cientistas para criarem (compostos) químicos sofisticados, como moléculas baseadas no carbono tão complexas como as existentes na natureza", informou a Academia.

Síntese de novas moléculas
Concretamente, estas descobertas servirão para sintetizar moléculas novas com aplicações para a medicina, a agricultura, o setor industrial químico e, inclusive, para o desenvolvimento de componentes eletrônicos.

As descobertas dos três permitiram a centenas de cientistas sintetizar muitas substâncias presentes na natureza em todo o planeta, desde os mares italianos até os oceanos das Filipinas, passando pela selva indonésia de Bornéu, explicou a Real Academia de Ciências da Suécia.

A partir dos estudos dos três premiados, outros químicos puderam sintetizar compostos a partir de substâncias complexas encontradas na natureza para lutar contra o câncer de cólon, a herpes e a Aids. O acoplamento cruzado do paládio catalisado também é útil para o progresso dos antibióticos contra as bactérias resistentes.

Na indústria eletrônica serve para produzir telas de computador ultraplanas de poucos milímetros.

As primeiras reações deste tipo foram realizadas há mais de 40 anos por Richard Heck em seu laboratório de Delaware, mas continuam sendo melhoradas e desenvolvidas, afirma a nota do comitê.

Base da vida
A química orgânica, ou química do carbono, é a base da vida, mas, para os analistas, os átomos de carbono não reagem entre si facilmente, com o que os cientistas precisam de agentes externos para provocar sua reação e, a partir daí, sintetizar novas moléculas.

Heck, nascido em 1931 em Springfield (EUA), fez doutorado em 1954 pela Universidade de Los Angeles, Califórnia, e é professor emérito da Universidade de Delaware, em Nova York. "Fiquei sem voz. Foi uma grande surpresa para mim", declarou Richard Heck, entrevistado pela agência TT. "É uma grande surpresa porque não faço nada em laboratório há anos", completou.

Seu colega japonês Negishi nasceu em 1935 em Changchun (atualmente, China) e fez doutorado em 1963 na Universidade da Pensilvânia, para exercer posteriormente na Purdue University (West Lafayette, EUA).

Perguntado sobre o que pretende fazer com o montante do prêmio, Negishi, um senhor de 75 anos, disse que gostaria de continuar trabalhando por mais alguns anos. “Pretendo usar o dinheiro para impulsionar ainda mais a minha pesquisa”, disse em entrevista.

“Estou extremamente feliz. Isso significa muito para mim. Eu estaria mentindo se dissesse que não estava sonhando com este prêmio há meio século, quando me deparei com vários prêmios Nobel na universidade”, disse.

O Nobel de Física incluiu um prêmio de 10 milhões de coroas suecas (1,1 milhão de euros) e, como o restante das distinções, será entregue em 10 de dezembro, dia do aniversário da morte de seu fundador, Alfred Nobel.

O anúncio do Nobel de Química segue ao correspondente de Física , ontem, que foi outorgado aos pesquisadores de origem russa Andre Geim e Konstantin Novoselov, por suas revolucionárias descobertas sobre o material bidimensional grafeno.

O correspondente a Medicina , anunciado na segunda-feira, foi para o britânico Robert G. Edwards, por suas pesquisas sobre a fecundação in vitro.

A rodada de anúncios destas distinções seguirá amanhã, com o prêmio de Literatura, na sexta-feira será a vez da divulgação do prêmio da Paz e finalmente, na próxima segunda-feira, o de Economia.


Veja a lista dos vencedores do Prêmio Nobel de Química dos últimos 10 anos:

2010: Richard Heck (EUA), Ei-ichi Negishi e Akira Suzuki (Japão)
2009: Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz (EUA), Ada Yonath (Israel)
2008: Osamu Shimomura (Japão), Martin Chalfie e Roger Tsien (EUA)
2007: Gerhard Ertl (Alemanha)
2006: Roger Kornberg (EUA)
2005: Yves Chauvin (França), Robert H. Grubbs e Richard R. Schrock (EUA)
2004: Aaron Ciechanover e Avram Hershko (Israel) e Irwin Rose (EUA)
2003: Peter Agre e Roderick MacKinnon (EUA)
2002: John Fenn (EUA), Koichi Tanaka (Japão) e Kurt Wuethrich (Suíça)
2001: William Knowles, K. Barry Sharpless (EUA) e Ryoji Noyori (Japão)

(Com informações da Reuters, AFP e EFE)

    Leia tudo sobre: prêmio nobelquímica orgânica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG