Nasa apresenta primeiros resultados da missão Dawn

Sonda está na órbita do asteroide Vesta desde julho, e suas imagens ajudarão a entender melhor a formação do sistema solar

EFE |

NASA/JPL
Polo Sul do asteroide Vesta, fotografado pela sonda Dawn
A Nasa apresentou nesta sexta-feira um vídeo sobre o asteroide Vesta, visível a olho humano, com mais detalhes do que nunca, graças as imagens que a sonda Dawn realizou desde que chegou à órbita no mês de julho.

Os dados obtidos pela câmera que foi utilizada para realizar a produção audiovisual ajudarão os cientistas a determinar os maiores detalhes do Vesta.

Com um diâmetro de 575 quilômetros, o Vesta é o segundo objeto de maior tamanho no cinturão de asteroides, entre Marte e Júpiter, que rodeia o Sistema Solar.

Os cientistas calcularam que essa região abriga por volta de 100 mil asteroides, considerados os "escombros" que restaram após a formação do sistema há 4,6 bilhões de anos.

Determinar a origem deste misterioso asteroide, assim como sua formação, contribuirá para conhecer melhor como foi o início de nosso sistema solar.

A coleção de imagens obtidas pela sonda quando estava a uma distância de 2.000 km e 700 km acima da superfície do Vesta serve para determinar seu eixo de rotação e estabelecer um sistema de coordenadas de latitude e longitude.

Além disso, busca definir a orografia do polo sul do asteroide gigante, onde picos gigantescos, fendas profundas e crateras podem ser apreciados.

A sonda Dawn continua enviando dados e os cientistas esperam que as imagens cheguem em outubro, quando alcançar o ponto mais próximo do Vesta, o que irá permitir a possibilidade de fotografias com uma resolução até oito vezes maior.

Outra característica diferente que é vista no vídeo é um enorme estrutura circular na região do polo sul, uma área que os cientistas buscavam ver desde que o telescópio espacial Hubble da Nasa o detectou pela primeira vez.

As observações que vem da Terra e também com telescópios espaciais proporcionaram imagens do Vesta durante aproximadamente dois séculos, mas nunca haviam conseguido ver muitos detalhes sobre a superfície.

A sonda, lançada em 2007, alcançou a órbita do asteroide no dia 15 de julho após viajar quase quatro anos e percorrer 2,8 milhões de quilômetros. A sonda irá rodar durante um ano ao redor do Vesta para estudar sua superfície antes de chegar ao planeta-anão Ceres.

Neste projeto participam o centro JPL para a Direção de Missões Científicas da Nasa em Washington, o Centro Marshall de Voo Espacial em Huntsville (Alabama), a Universidade da Califórnia (UCLA) e a companhia Orbital Sciences Corporation, que projetou e construiu a nave espacial.

Também são parte da equipe da missão o Centro Aeroespacial Alemão, o Instituto Max Planck de pesquisa do Sistema Solar, a Agência Espacial Italiana e o Instituto Italiano de Astrofísica. EFE elv/nvo/ma

    Leia tudo sobre: espaçonasadawnvesta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG