Nasa acha defeito em lacre após adiar lançamento do Discovery

Defeito no lacre e rachadura de meio metro na espuma isolante causaram cancelamento do voo no dia 5 de novembro

Reuters |

Um vazamento potencialmente perigoso de hidrogênio que obrigou a Nasa a cancelar na semana passada o lançamento do ônibus espacial Discovery pode ter sido causado por um lacre mal instalado, disse um porta-voz da agência espacial na quinta-feira.

"Eles estão analisando o lacre de voo, que não estava adequadamente alinhado", disse Allard Beutel em e-mail à Reuters.

A Nasa pretendia ter lançado o ônibus Discovery em 5 de novembro, para levar um módulo de armazenamento, peças de reposição e um robô à Estação Espacial Internacional. Mas um vazamento de hidrogênio gasoso num duto de ventilação foi detectado quando a nave estava sendo abastecida para decolar.

Depois disso, a Nasa descobriu uma grande rachadura na espuma de isolamento do tanque de combustível do ônibus espacial, o que provavelmente teria levado ao cancelamento do voo se o vazamento não tivesse sido notado.

A rachadura, inicialmente estimada em 18 centímetros, na verdade tinha cerca de meio metro. Os técnicos removeram a parte danificada e descobriram uma rachadura em uma estrutura subjacente.

A Nasa espera concluir os reparos até 30 de novembro, quando terá uma nova oportunidade de fazer o lançamento.

"Como vocês podem esperar, (a administração do programa) está permitindo que o trabalho dite o cronograma, e não o contrário", disse Kyle Herring, outro porta-voz da Nasa.

A agência avalia com cuidado a situação da espuma de isolamento térmico do tanque porque esse material provocou o acidente de 2003 com a nave Columbia, que matou sete astronautas.

Naquela ocasião, um pedaço da espuma se descolou na hora da decolagem, atingindo a asa esquerda da nave e provocando uma explosão no regresso à atmosfera, 16 dias depois.

O acidente levou à decisão de aposentar os ônibus espaciais, que farão ainda mais dois ou três voos até a Estação Espacial. Depois disso, a Nasa pretende desenvolver naves que viajem mais longe -- eventualmente até Marte.

Os voos até a Estação Espacial devem ser terceirizados para empresas privadas. Enquanto isso não acontece, os EUA pagarão à Rússia para levar astronautas até a Estação, ao preço de 51 milhões de dólares por passageiro.

    Leia tudo sobre: ônibus espacialdiscoveryISSnasa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG