Astrônomo ficou conhecido por encontrar corpos celestes e por ter contribuído para que Plutão fosse desclassificado como planeta

Brian Marsden: caçador de cometas morre aos 73 anos
AFP
Brian Marsden: caçador de cometas morre aos 73 anos
O astrônomo americano de origem britânica Brian Marsden, reconhecido mundialmente por seu talento de caçador de cometas e por ter contribuído para degradar Plutão ao ranking de planeta anão, morreu no dia 18 de novembro, aos 73 anos, anunciou nesta terça-feira o Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica.

"Brian era um dos astrônomos mais ouvidos do século XX, sem nenhuma dúvida", destacou Charles Alcock, diretor deste centro ligado à Universidade Harvard (Massachusetts, nordeste).

Brian Marsden era especialista em mecânica celeste e astrometria. Possuía dons particulares para encontrar cometas e asteroides que se acreditava perdidos.

Previu a volta do cometa Swift-Tuttle, que originou o célebre espetáculo de estrelas cadentes, as Perseidas, em agosto passado.

Numerosos outros cometas foram objeto de seus cálculos, como o Ikeya-Zhang em 2002.

Em 1978, Brian Marsden foi para a direção do Minor Planet Center (MPC), o organismo oficial da União Astronômica Internacional - encarregado de colher dados de observação de asteroides e cometas.

Demitiu-se em 2006, no mesmo dia em que anunciou a desclassificação de Plutão, permanecendo como diretor honorário até sua morte.

O astrônomo, vítima de uma longa doença, foi também vice-diretor do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, de 1987 a 2003.

Nascido em 5 de agosto de 1937 em Cambridge, Inglaterra, Brian Marsden era diplomado em matemática pela Universidade de Oxford (Grã-Bretanha) e possuía um doutorado na Universidade Yale (Connecticut, nordeste americano).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.