Moedas de dois mil anos são encontradas no Egito

Pesquisadores desenterraram 383 moedas da época do rei Ptolomeu III, ancestral da rainha Cleópatra

Isis Nóbile Diniz, especial para o iG |

Arqueologistas escavaram 383 moedas de bronze, a 80 km a sudoeste do Cairo. Em um dos lados da moeda está escrito, em egípcio e grego, deus “Amon-Zeus”. Do outro lado, há a figura de uma águia e as palavras “Ptolomeu” e “rei da Grécia”. O rei Ptolomeu III, um ancestral da famosa Cleópatra, governou o Egito no século III a.C.

© AP
As moedas de bronze tinham inscrições em grego, mostrando a fusão entre as duas culturas

A dinastia de Ptolomeu foi fundada por um dos generais de Alexandre, O Grande. Ela governou o Egito por cerca de 300 anos, fundindo antigas culturas gregas e egípcias. As moedas foram encontradas ao norte do lago Birket Qarun, na cidade de Al Fayyum, 80 quilômetros do Cairo. Na área, também foram descobertos outros artefatos como três colares feitos de casca de ovo de avestruz datado de 4.000 a.C. e um pote de maquiagem para delinear de olhos, da época do Império Otomano, que atingiu seu auge no século XVI d.C. Todos os objetos serão exibidos no novo museu do Egito em construção perto das Pirâmides de Gizé.

    Leia tudo sobre: arqueologiaegito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG