Minidinossauro predador é descoberto na Argentina

Com isso, cientistas sugerem nova árvore genealógica dos primeiros dinossauros. Veja vídeo e galeria

Cristina Caldas, especial para o iG |

Um dos lugares preferidos dos pesquisadores que tentam remontar a evolução dos primeiros dinossauros fica na Argentina, na Formação Ischigualasto, um local árido conhecido como “Vale da Lua”. Foi lá que Paul Sereno, da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, e Ricardo Martinez, da Universidade Nacional de San Juan, na Argentina, descobriram um novo minidinossauro que pode ser um antigo ancestral da linhagem terápode, a dos dinossauros bípedes carnívoros como o Tyrannosaurus rex . O estudo foi publicado hoje (13) na revista especializada Science.

O pequeno animal foi batizado de Eodromaeus murphi . O “murphi” foi uma homenagem ao J. Murphy, voluntário que achou o fragmento fóssil que desencadeou as análises. Eos significa início ou amanhecer, em grego; dromaeus vem também do grego e quer dizer corredor. Pesando entre cinco e sete quilos e medindo 1,2 metros, o pequeno Eodromaeus , ou “corredor da madrugada” foi encontrado em rochas de 230 milhões de anos. Veja a reconstituição do Eodromaeus :


Medindo o comprimento do crânio, olhando com cuidado as características dos ossos, como se montam, se posicionam, seus tamanhos, buracos, entre outros atributos, Sereno e Martinez concluíram que o Eodromaeus é um ancestral antigo dos terópodes. O crânio do minidinossauro tem uma abertura perto do nariz (fenestra promaxilar), parecida com a de outros animais do mesmo grupo. Há outras similaridades no esqueleto axial, nos membros anteriores e posteriores e nos ossos do quadril.

Além da descoberta do Eodromaeus , a equipe reinterpretou dados de fósseis do Eoraptor lunensis que eles mesmos encontraram em 1996, no mesmo local, considerado na ocasião também como ancestral antigo dos terópodes. “O Eoraptor , além de não ter os atributos de terópodes descritos para o Eodromaeus , apresenta características previamente vistas apenas entre saurópodes”, escrevem os autores no artigo. Agora, Sereno e Martinez sugerem a classificação do Eoraptor como ancestral antigo da linhagem saurópode, a dos dinossauros herbívoros gigantes de pescoço comprido como o apatossauro (conhecido antigamente como brontossauro).

Max Langer, paleontólogo da Universidade de São Paulo, disse, em reportagem publicada na mesma edição da Science, que o re-ordenamento da árvore genealógica dos primeiros dinossauros precisa ainda ser melhor estudado por grupos independentes de pesquisa. E completa, afirmando que o dilema de onde fica o Eoraptor neste novo esquema “mostra como terópodes e saurópodes eram similares uns aos outros,” no início da evolução dos dinossauros.

    Leia tudo sobre: paleontologiadinossauros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG