O poço está derramando petróleo no mar do Golfo do México há 42 dias

Funcionários do governo americano colocam tambor de barragem de óleo em sacolas em Port Fourchon, Louisiana.
Reuters
Funcionários do governo americano colocam tambor de barragem de óleo em sacolas em Port Fourchon, Louisiana.
Funcionários do governo dos EUA e da empresa petrolífera BP alertam que o vazamento de petróleo no golfo do México pode durar até agosto. A BP prepara um novo método para tentar tapar o poço petrolífero que jorra há 42 dias, no maior desastre com petróleo na história dos EUA, e possivelmente a maior catástrofe ambiental do país.


No fim de semana, a BP anunciou o fracasso na tentativa de "sufocar" o vazamento com lama. "Não há dúvida de que a solução final está no poço auxiliar, em agosto," disse um representante da empresa no domingo ao visitar a localidade pesqueira de Venice, na Louisiana, praticamente deserta por causa do acidente.

A BP começou neste mês a escavar dois poços auxiliares, a partir dos quais será possível consertar o poço, a 1.600 metros de profundidade, de onde o óleo vaza desde 20 de abril, quando uma plataforma de perfuração no local explodiu e afundou, deixando 11 mortos. A escavação dos novos poços é uma operação custosa e demorada, mas com maior chance de sucesso.

Hayward disse que, enquanto esses poços são escavados, a BP manterá "uma mentalidade de contenção submarina, contenção na superfície e defesa da costa, de modo muito agressivo."

O vazamento na costa sul dos EUA já supera o desastre de 1989 com o navio Exxon Valdez no Alasca. Estima-se que haja um vazamento de entre 1,9 milhão e 3 milhões de litros diários de óleo no mar, o que causa graves prejuízos ambientais e econômicos no sul dos EUA.

A BP agora prepara uma nova contenção para ser colocada por cima de uma válvula, na boca do poço, que apresentou a falha que tornou possível a explosão da plataforma.

Petróleo na superfície do mar na região de Louisiana, no Golfo do México
Getty Images
Petróleo na superfície do mar na região de Louisiana, no Golfo do México
A Casa Branca disse que a empresa vai começar na segunda ou terça-feira a cortar um cano que vá da boca do poço à superfície.

A expectativa da BP é de bombear ao menos parte do óleo para a superfície. A empresa vai saber ainda nesta semana se a operação funciona.

Mas até mesmo o governo de Barack Obama, muito criticado pela suposta demora em reagir à crise, já trabalha com a hipótese de o vazamento só terminar em agosto, quando os poços auxiliares estiverem prontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.