Vazamento: bolas de alcatrão chegam às praias do Texas

Intervenção de navio taiwanês não surtiu resultado; governo britânico prepara plano para uma eventual falência da BP

AFP |

AFP
Bandeira americana em poça de petróleo vista em praia do Alabama no domingo (4)
A petroleira BP afundou ainda mais em sua crise nesta terça-feira com a chegada de bolas de alcatrão provenientes do vazamento do Golfo do México nas praias do Texas e com o aumento nos custos exorbitantes de limpeza do litoral.

Acompanhe o vazamento do Golfo do México dia a dia no infográfico do iG

Os primeiros resultados da intervenção de um gigantesco navio taiwanês que chegou sábado na região para limpar o óleo derramado foram decepcionantes. Com o mau tempo, seguem difíceis as operações de regaste depois de 77 dias da explosão da plataforma Deewater Horizon no Golfo do México.

As águas agitadas e as tempestades de raios ameaçavam a realização de tentativas com o navio A Whale: os resultados não foram "conclusivos por causa do mar agitado", lamentou Bob Graham, porta-voz da empresa taiwanesa proprietária da embarcação, TMT Shipping.

Enquanto isso, bolas de alcatrão encontradas na espuma do mar de Galveston (Texas) foram analisadas. O resultado comprovou que o material procedia do derrame de petróleo da BP, mas o que ainda não foi confirmado é se o derivado partiu do lugar do vazamento há centenas de quilômetros ou se escapou de um dos barcos que participam das operações de recuperação do combustível no golfo.

Na segunda-feira, a BP informou ter gastado mais de 3 bilhões de dólares em operações de limpeza. O governo britânico anunciou nesta terça-feira que estava preparando um plano de contingência para uma eventual falência da petroleira britânica por causa dos enormes custos da pior catástrofe ambiental da história dos Estados Unidos, segundo publicou o diário The Times desta terça.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG