Uso de diluentes contra maré negra preocupa autoridades dos EUA

Governo e ambientalistas pedem mais informações sobre produtos químicos empregados por empresa para conter vazamento de óleo

AFP |

O impacto sobre o meio ambiente dos diluentes utilizados pela BP no Golfo do México para lutar contra a maré negra preocupa as autoridades da Louisiana e os ecologistas, que pediram mais informações sobre os produtos empregados. As autoridades dos serviços de saúde, do meio ambiente e da pesca da Louisiana enviaram uma carta ao presidente executivo da BP, Tony Hayward, pedindo mais informações sobre o uso de diluentes.

"Estamos seriamente preocupados com a falta de informações referentes ao uso de diluentes para lutar contra a maré negra no Golfo do México e ao impacto que estes produtos podem ter nas populações, na qualidade da água e do ar, assim como na indústria pesqueira e na vegetação do litoral da Louisiana e nas zonas pantanosas", indica a carta.

Aproximadamente 41% dos mariscos consumidos nos Estados Unidos são provenientes da Louisiana, de acordo com os serviços de pesca deste estado. Anteriormente, grupos de proteção do meio ambiente já haviam expressado seus temores.

Reuters
Imagem aérea mostra a mancha de petróleo na costa da baía de Mobile, no estado do Alabama (EUA)

"Este uso crescente de diluentes suscita um certo número de perguntas sobre onde vão parar esses produtos químicos", havia declarado Larry Schweiger, presidente da National Wildlife Federation, a maior organização particular americana de defesa da natureza, com mais de quatro milhões de membros.

"Os diluentes atuais são de uma nova geração, mas não sabemos de que são compostos porque isso está protegido por segredo comercial", indicou a toxicóloga LuAnn White, da Universidade de Tulane, em Nova Orleans.

O uso sem precedentes destes produtos pela BP em altas profundidades, próximo da fonte do vazamento, levou na quinta-feira passada a Agência americana de Proteção Ambiental a suspender esta medida até que cheguem os resultados das análises que devem determinar seu impacto sobre o ecossistema. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG