União Europeia estuda ampliar meta de energia renovável

Motivo para prolongamento do prazo está na proteção do setor de energia limpa do lobby da indústria de combustíveis fósseis

AE |

selo

ONU
Connie Hedegaard, comissária de ação climática da União Europeia quer ampliar para além de 2020 as metas de adoção de energias renováveis
A União Europeia estuda ampliar para além de 2020 as metas de adoção de energias renováveis pelo bloco de países. Em entrevista ao jornal britânico The Guardian , Connie Hedegaard, comissária europeia para clima, propõe estender a meta em dez anos.

"Deveríamos discutir uma meta de energias renováveis para 2030", disse ela. É a primeira vez que a comissária europeia levanta a questão de aumentar as metas de adoção de energias limpas. A atual meta prevê que os países que fazem parte da União Europeia sejam abastecidos com 20% de energias renováveis até 2020.

Um dos motivos de se estender o prazo é para proteger o setor de geração de energia limpa do lobby da indústria de combustíveis fósseis, em especial do gás. O setor de gás na Europa vem tentando se posicionar como uma alternativa "verde" mais barata do que a energia solar, por exemplo. A extensão da meta, segundo Connie, ajudaria a turbinar o setor de energias limpas no bloco e garantiria seu crescimento após 2020. A comissária não deu detalhes de quanto seria a nova meta, mas fontes estimam que a negociação seria de ter 40% de energias renováveis até 2030.

Leia mais:

Recessão provoca queda recorde em emissões de CO2 da UE

União Européia apoia fechamento do mercado de emissões de CO2

Veja a cobertura do iG na COP-16

    Leia tudo sobre: energiaunião europeia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG