Trem com resíduos radioativo gera protestos na Alemanha

Ativistas conseguiram, em várias ocasiões, deter que trem seguisse. Polícia destacou 20 mil soldados para proteger comboio

EFE |

EFE
Ativistas fazem marcha de trator em en Dannenberg, Alemanha
Os protestos contra um trem carregado com resíduos radioativos aumentaram neste sábado (27) na Alemanha, enquanto o comboio se aproxima, rodeado por fortes medidas de segurança, de seu destino final, o deposito de Gorleben, no norte do país.

Os principais incidentes aconteceram na localidade de Eichenberg, perto da cidade de Göttingen, onde 20 ativistas conseguiram burlar o cordão policial e chegar até as vias, conseguindo deter o comboio.

Além disso, durante a madrugada os manifestantes impediram, em várias ocasiões, que o trem seguisse adiante em sua passagem pela região do Palatinado e no estado de Hesse, ambos no oeste do país.

As forças de segurança, que desdobraram um total de 20 mil soldados para proteger o percurso deste polêmico trem, aplicaram neste ano uma nova estratégia e optaram pela "tolerância zero", como apontou em sua edição de hoje o jornal "Berliner Tageszeitung".

Tolerância zero
"A polícia reagiu com uma força incomum contra os protestos", destacava o periódico em sua capa, lembrando que em anos anteriores as forças de segurança não atuaram contra os manifestantes até que estes tentassem deter o trem.

Para este sábado está prevista uma grande manifestação contra a energia atômica na localidade de Dannenberg, a mais próxima ao cemitério nuclear de Gorleben, na qual os organizadores preveem reunir milhares de ativistas.

EFE
Policiais retiram ativista que protestava contra passagem de trem com resíduos nucleares, na Alemanha
No entanto, ainda não se sabe quando o trem chegará a esta localidade, onde os 11 contêineres com 2,5 mil toneladas de lixo altamente radioativo devem ser transferidos a caminhões para percorrer os últimos quilômetros por estrada até o depósito temporário de Gorleben.

Durante a noite também aconteceu uma série de protestos antinucleares em grande parte do percurso do comboio, o que obrigou o trem a parar em várias ocasiões.

A polícia informou em comunicado que seus soldados foram atacados com coquetéis molotov na região de Wendland, e os ativistas e meios de comunicação destacaram o abundante uso de canhões de água, balas de borracha e gás lacrimogêneo por parte das forças de segurança.

O comboio com os contêineres de resíduos entrou em território alemão ontem de manhã pela localidade de Saarbrücken (oeste) procedente da usina de processamento de lixo atômico de Le Hague, na França.

Na quinta-feira à tarde ocorreram já em território alemão os primeiros incidentes relacionados com a passagem do comboio, quando a Polícia lançou água contra 800 manifestantes na localidade de Metzingen, segundo a imprensa local.

Há anos, a viagem deste comboio radioativo gera protestos na Alemanha, a partir de grupos contrários a energia atômica e sucessivos cortes das vias em seu trajeto até o depósito de Gorleben.

Após as grandes concentrações do ano passado, as maiores em décadas, os protestos de 2011 são os primeiros após o aprovação do "blecaute" nuclear emitido pela chanceler federal, Angela Merkel, sob o impacto da catástrofe da usina japonesa de Fukushima.

    Leia tudo sobre: ALEMANHA NUCLEAR

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG