Técnicos farão inspeção para determinar como deter vazamento e se é possível injetar diretamente lama no poço acidentado

A Total vai enviar, na quarta ou na quinta-feira, uma primeira equipe para inspecionar a plataforma onde foi detectado um vazamento de gás no Mar do Norte, informou nesta terça-feira um porta-voz da petrolífera francesa.

A Total prepara um "voo de helicóptero para amanhã ou depois de amanhã, em função das condições meteorológicas, a fim de levar uma primeira equipe" à plataforma Elgon, disse o porta-voz à AFP.

A operação pode ser realizada agora que "foram estabelecidas as condições necessárias para ter acesso com toda segurança à plataforma", em coordenação com as autoridades britânicas, acrescentou outro porta-voz da companhia na cidade escocesa de Aberdeen, a 240 quilômetros da plataforma.

Leia mais:
Greenpeace avista óleo próximo a plataforma no Mar do Norte
Vazamento de gás no Mar do Norte provoca isolamento de plataforma
Total se mobiliza para deter escapamento de gás no Mar do Norte

Após a extinção do queimador que impedia o acesso à Elgin devido ao risco de explosão, a Total se concentra nas operações de tamponamento.

Os especialistas enviados à plataforma, que foi evacuada em 25 de março, farão uma primeira inspeção para determinar como deter o vazamento e se é possível injetar diretamente lama no poço acidentado.

Outra opção, que seria muito mais longa, consistiria em perfurar dois poços de derivação.

A Total incluirá na equipe especialistas da empresa americana "Wild Well Control", que já interveio no Golfo do México após a explosão da plataforma da BP Deepwater Horizon, em 2010.

A petrolífera francesa avaliou nesta segunda-feira que as medidas tomadas para tentar controlar o escapamento, de 200.000 metros cúbicos de gás diários, custam cerca de US$ 1 milhão por dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.