Tempestade tropical Alex chegará ao leste da cidade de Belize até amanhã com ventos máximos de 65 km/h e pode interromper BP

Guarda caminha ao longo da barreira para conter vazamento de óleo no Golfo do México
AP
Guarda caminha ao longo da barreira para conter vazamento de óleo no Golfo do México
A tempestade tropical Alex, a primeira da temporada de furacões do Atlântico, ameaça Belize e a península de Iucatã, que estão sob alerta, e pode interromper os trabalhos contra o vazamento de petróleo no Golfo do México.

Acompanhe a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

Com ventos máximos sustentados de 65 km/h, é possível que Alex se intensifique antes de chegar à costa, como informou o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos em seu último boletim, emitido hoje às 9h (horário de Brasília). A tempestade se desloca para noroeste a 13 km/h e seu centro, a esta hora, estava a 320 quilômetros do leste da Cidade do Belize e 360 quilômetros a sudeste de Chetumal.

As previsões indicam que Alex, que se formou no oeste do Caribe, pode chegar esta noite ou no domingo em Belize e na costa leste de Iucatã. É previsível que, uma vez em terra, perca força até se tornar uma depressão tropical, mas ela pode também se intensificar quando desembocar nas águas quentes do Golfo do México rumo à fronteira do México com o Texas (EUA).

Nessa trajetória, "Alex" poderia interromper os trabalhos de limpeza feitos pela BP para frear o derramamento de petróleo no Golfo do México e ainda prejudicar a produção das plataformas de petróleo na região. O Governo de Belize emitiu um aviso de tempestade tropical para a sua costa, e o México para a costa leste da península de Iucatã, de Chetumal a Cancún.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.