Tempestade avança e pode interromper operação no Golfo do México

Tempestade tropical Alex chegará ao leste da cidade de Belize até amanhã com ventos máximos de 65 km/h e pode interromper BP

EFE |

AP
Guarda caminha ao longo da barreira para conter vazamento de óleo no Golfo do México
A tempestade tropical Alex, a primeira da temporada de furacões do Atlântico, ameaça Belize e a península de Iucatã, que estão sob alerta, e pode interromper os trabalhos contra o vazamento de petróleo no Golfo do México.

Acompanhe a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

Com ventos máximos sustentados de 65 km/h, é possível que Alex se intensifique antes de chegar à costa, como informou o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos em seu último boletim, emitido hoje às 9h (horário de Brasília). A tempestade se desloca para noroeste a 13 km/h e seu centro, a esta hora, estava a 320 quilômetros do leste da Cidade do Belize e 360 quilômetros a sudeste de Chetumal.

As previsões indicam que Alex, que se formou no oeste do Caribe, pode chegar esta noite ou no domingo em Belize e na costa leste de Iucatã. É previsível que, uma vez em terra, perca força até se tornar uma depressão tropical, mas ela pode também se intensificar quando desembocar nas águas quentes do Golfo do México rumo à fronteira do México com o Texas (EUA).

Nessa trajetória, "Alex" poderia interromper os trabalhos de limpeza feitos pela BP para frear o derramamento de petróleo no Golfo do México e ainda prejudicar a produção das plataformas de petróleo na região. O Governo de Belize emitiu um aviso de tempestade tropical para a sua costa, e o México para a costa leste da península de Iucatã, de Chetumal a Cancún.

    Leia tudo sobre: vazamentoóleogolfo do méxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG