Tempestade Alex provocará ondulações na área do vazamento de óleo

Navios que retiram o petróleo derramado no Golfo do México precisam de 120 horas para sair, caso Alex se direcione para região

iG São Paulo |

AFP
Ativistas e moradores da praia de Pensacola, na Flórida, fizeram manisfestação "Mãos através da areia" neste sábado
A tempestade tropical Alex que se desloca em direção à cidade de Belize e da costa leste da península de Yucatán, pode se transformar em um furacão e afetar os trabalhos da BP contra o vazamento de petróleo no Golfo do México.

Acompanhe a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

Apesar de a tempestade Alex, que se formou no oeste do Caribe hoje, talvez passar distante da área do acidente, pode gerar ondulações, complicando os esforços de limpeza, de acordo com os especialistas.

"O clima é imprevisível e podemos ter uma mudança de última hora", disse o almirante Thad Allen, nomeado pelo presidente Barack Obama para tratar do maior desastre ambiental da história dos Estados Unidos, provocado pela explosão da plataforma da BP, em 20 de abril.

Às 12H00 de Brasília, o olho da tempestade, com ventos contínuos de 75 km por hora, foi localizado 225 km ao leste de Belice City, informou o Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami. Após provocar chuvas nos países da América Central, espera-se que a tempestade se dirija para o Golfo do México.

As previsões para cinco dias do Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA dizem que o Alex se transformará em um furacão na próxima quarta-feira e chegará à terra na região próxima a Tampico (México).

Segundo Allen, os navios que recuperam o petróleo derramado no Golfo do México precisam de 120 horas para evacuar a região. "Se tivermos um indício de que temos uma possibilidade de ventos com força de vendaval 120 horas antes, tomaremos a decisão", disse ele, acrescentando que "neste momento, não chegamos a esse limite".

Protesto

Enquanto isso, as praias turísticas de Pensacola, na Flórida, famosas pelas areias brancas, foram alcançadas finalmente pela maré negra e as autoridades proibiram os banhos de mar em plena temporada de verão.

A área afetada vai de Perdido Key até regiões da ilha Santa Rosa, em Pensacola Beach, região de maior atração turística na área, que inclui arrecifes de coral e uma importante indústria pesqueira.

Ativistas e moradores de Luisiana preparavam uma manifestação, este sábado, de mãos dadas, para declarar seu apoio à energia limpa e o repúdio à perfuração em alto-mar.

O protesto, batizado de "Mãos através da areia", será celebrado em todos os estados norte-americanos e em outros 30 países, disseram os organizadores.

*Com informações das agências AFP e EFE.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleogolfo do méxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG