Tempestade afeta limpeza de vazamento no Golfo do México

Guarda Costeira ordenou o retorno de seus barcos por causa do risco. BP continua com seus aparelhos de captura no local

EFE |

© AP
Heicóptero sobrevoa mancha de óleo perto da costa da Louisiana na segunda (28)
O mau tempo causado pela tempestade tropical Alex forçou hoje a Guarda Costeira americana a ordenar o retorno para a costa das embarcações que trabalham nas tarefas de limpeza do vazamento de petróleo nas águas do Golfo do México.

Veja a evolução do vazamento de petróleo no Golfo do México no infográfico do iG


O tenente Dave French disse que as tarefas de limpeza tiveram que ser paralisadas no litoral dos estados americanos de Louisiana, Alabama, Flórida e Mississipi, afetados pelo vazamento que começou em abril.

A interrupção dos trabalhos de limpeza e os fortes ventos de até 40 km/h na região aumentam a vulnerabilidade de suas praias. Os meteorologistas não preveem que a tempestade tropical Alex chegue à região do vazamento, mas, mesmo assim, sua proximidade pode ser notada nas águas do Golfo do México, onde hoje foram registradas ondas de mais de três metros de altura.

As únicas embarcações que navegam no momento na área são as encarregadas de capturar o petróleo que vaza do poço operado pela British Petroleum (BP). O vice-presidente americano, Joe Biden, visitará hoje a área afetada pelo derramamento, que causou o pior desastre ecológico da história dos Estados Unidos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG