Temperaturas gélidas ameaçam aves costeiras do Reino Unido

Entidade pede que turistas não perturbem grupos de pássaros durante a onda de frio na Europa

Reuters |

As aves das regiões costeiras da Grã-Bretanha são as mais recentes a estarem ameaçadas pelo frio congelante, disse esta semana a Real Sociedade para a Proteção de Aves (RSPB).

A organização beneficente pediu que caminhantes, pescadores e observadores de pássaros evitem perturbar bandos de aves quando passearem pelo campo durante as festas de fim de ano, depois das nevascas e da temperatura gélida deste dezembro.

"Em condições de neve e gelo, as aves são forçadas a desperdiçar suas preciosas reservas de energia, alçando vôo, quando precisariam passar o maior tempo possível alimentando-se ou descansando," disse Chris Cockburn, diretor da RSPB em Langstone Harbour, no condado de Hampshire, no sul da Inglaterra.

"Esperamos que pessoas que saírem para andar no campo ouçam nosso conselho, proporcionando chances melhores de sobrevivência aos milhares de aves que visitam nosso litoral e nossas zonas úmidas durante o inverno."

Aves migratórias, como gansos-de-faces-negras, algumas espécies de patos e pilritos-comuns, estão entre as espécies afetadas pelo frio.

Durante o verão, as aves vivem nas regiões árticas e no norte e leste da Europa, mas no inverno elas migram para a Grã-Bretanha para escapar do tempo mais frio nessas regiões.

Mas, segundo o comunidade da RSPB, as aves --especialmente as costeiras, que se alimentam apenas na maré baixa-- estão tendo dificuldade em encontrar alimentos.

A temperatura gelada também provoca uma mudança no comportamento, na medida em que as aves relutam mais em voar para longe quando uma pessoa ou outro animal se aproxima delas, segundo o Comitê Conjunto de Conservação da Natureza.

    Leia tudo sobre: frioavesinglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG