Tartaruga centenária tem mais uma chance para acasalar

Cientistas acreditam que George seja último representante vivo de sua espécie

iG São Paulo |

AP Photo/ Galapagos National Park, File
George, uma tartaruga gigante da ilha de Galápagos, terá outras duas parceiras
Cientistas estão esperançosos com a possibilidade de George, uma tartaruga gigante e de quase 100 anos, se acasalar – apesar de os esforços ao longo das duas últimas décadas terem falhado. O Parque Nacional de Galápagos afirmou em comunicado que eles providenciaram duas fêmeas para George, que se acredita seja o último representante vivo da espécie Geochelone abigdoni .

Estima-se que George tenha entre 90 e 100 anos de idade – que deverá viver por mais 50 anos. Nos últimos 20 anos, ele teve outras duas parceiras de uma espécie semelhante, a Geochelone becki . As fêmeas puseram ovos em 2008, 2009 e em 2010, sem resultar em prole.

Cientistas acreditam que George terá maior chance de reprodução com as duas novas parceiras, que são da espécie Geochelone hoodensis e que chegaram a Ilha Santa Cruz, nesta quinta-feira (20)
Estudos genéticos da Universidade de Yale mostraram que as novas parceiras “são geneticamente mais próximas, compatíveis e podem oferecer grandes possibilidades de produzir uma nova prole”.

O arquipélago de Galápagos, a cerca de 620 milhas (1.000 km) da costa do Equador, abriga espécies endêmicas que inspiraram as idéias de Charles Darwin sobre evolução.

(Com informações da AP)

    Leia tudo sobre: Georgetartaruga gigantegalápagos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG