Encontro de prefeitos pretende assinar pacto para combater aquecimento global localmente

As soluções para frear as mudanças climáticas podem partir de medidas locais, assumidas nas cidades, diante das dificuldades que os países enfrentam para chegarem a um acordo, disseram esta quinta-feira prefeitos de cidades de 90 países, no início de um encontro no México, às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças no Clima, prevista para o fim do mês, em Cancún (leste).

"Devemos dizer à comunidade internacional que é nas cidades que vamos vencer a batalha contra o aquecimento global", disse Marcelo Ebrard, prefeito da Cidade do México, ao abrir o evento.

O prefeito mexicano pediu aos governos nacionais que façam um esforço maior para evitar que a próxima conferência da ONU (COP16) acabe adiando a assinatura de compromissos, como aconteceu no ano passado, em Copenhague.

Mais de 3.000 pessoas, entre prefeitos, legisladores e funcionários dos governos de mil cidades e comunidades locais, começaram as sessões da terceira assembleia da União de Cidades e Governos Locais (CGLU), que se estenderá até sábado.

No domingo, os prefeitos de 70 cidades - entre elas São Paulo, Paris e Los Angeles -, bem como representantes de pelo menos outras 30 cidades, assinarão na Cidade do México um pacto para reduzir as emissões de gases que causam o aquecimento global.

A agenda do encontro de prefeitos inclui, ainda, temas como os problemas de emprego criados pela crise financeira mundial e a qualidade de vida nas grandes cidades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.