Sobe número de rinocerontes caçados ilegalmente na África do Sul

De acordo com dados dos parques nacionais do país, 405 animais foram abatidos por causa de seus chifres, vendidos como afrodisíaco

Reuters |

Getty Images
Mais de 400 rinocerontes foram abatidos este ano na África do Sul
O número de rinocerontes caçados de forma ilegal na África do Sul subiu drasticamente este ano, com mais de 400 animais mortos, informou na terça-feira (6) o instituto responsável pelos parques nacionais sul-africanos.

A entidade disse que 405 rinocerontes foram abatidos por causa de seus chifres até agora em 2011 - 229 deles no Parque Nacional Kruger. O número geral representou um aumento de 22 por cento com relação a 2010.

A prisão de caçadores chegou a 210, um aumento de 27 por cento.

Leia mais:
Rinoceronte negro ocidental é declarado extinto
Rinoceronte javanês do Vietnã está extinto, diz WWF
Cientistas captam imagem de rinoceronte ameaçado de extinção
África do Sul pode legalizar a venda de chifres de rinoceronte

A África do Sul abriga 90 por cento da população de rinocerontes brancos da África. O governo proibiu a caça do animal e a venda de seus produtos na tentativa de conter a caça ilegal, mas teve pouco sucesso.

Quadrilhas criminosas traficam chifres de rinoceronte para a Ásia, onde são vendidos no mercado negro para usos medicinais e como afrodisíaco.

Leia mais sobre animais em extinção:
Cientistas mapeiam espécies "ressuscitadas"
Extinção de espécies está superestimada, diz estudo
Cientistas criam células-tronco para evitar extinção de espécies

O Parque Nacional Kruger é um dos maiores do mundo e tem praticamente o tamanho de Israel. Ele também integra o Grande Parque Transfronteiriço, que liga as reservas ao longo das fronteiras da África do Sul com Zimbábue e Moçambique, por onde os caçadores conseguem entrar e sair com facilidade.

    Leia tudo sobre: áfrica do sulrinocerontesconservação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG