Shell admite dificuldade para conter vazamento no Mar do Norte

Vazamento de petróleo ocorreu em uma área de difícil acesso e rodeada por vegetação marinha

iG São Paulo |

EFE/Paul Warrener
Mancha no mar: vazamento de petróleo no Mar do Norte foi o pior da região nos últimos dez anos
A Shell admitiu nesta quarta-feira (16) que o vazamento de petróleo em uma plataforma do Mar do Norte na semana passada pode aumentar pelas dificuldades que as equipes estão tendo para contê-lo. O vazamento, que se estende por uma área de 41 quilômetros quadrados, é o maior da última década na região.

A empresa informou que ainda não sabe a causa do vazamento. De acordo com a porta-voz da Shell, Sally Hepton, a empresa continua tentando vedar o vazamento que desde quarta-feira (9) passada já derramou 218 toneladas de petróleo no mar, a 180 quilômetros de Aberdeen, na Escócia.

A Shell havia informado que o vazamento principal ocorreu em um duto na plataforma Gannet Alpha. A empresa também havia informado que o vazamento estava sob controle, mas ainda é preciso controlar um segundo vazamento em uma válvula próxima de onde escapava o petróleo.

A Shell também havia afirmado na terça-feira que o vazamento não chegaria à costa, mas, o diretor técnico da companhia, Glen Cayley, reconheceu nesta quarta-feira que há toneladas de petróleo no interior do duto.

Além disso, admitiu em declarações à agência de notícias britânica "PA" que está muito difícil deter o vazamento pelo fato de o duto ficar em uma área de difícil acesso e rodeada de vegetação marinha.

"Até que se tenha eliminado totalmente o vazamento e a brecha seja fechada, existem riscos", acrescentou o diretor da companhia anglo-holandesa.

(Com informações da EFE e da AP)

    Leia tudo sobre: R.UNIDO ACIDENTE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG