Senadores dos EUA propõem redução de 17% nas emissões de CO2 para 2020

Após meses de negociações, o projeto de lei sobre o corte nas emissões de carbono foi apresentado no país

AFP |

Senadores dos Estados Unidos apresentaram nesta quarta-feira o esperado plano para a mudança climática, projetando o corte de 17% das emissões de CO2 para 2020 em comparação com os níveis de 2005 mediante a regulação da energia, da indústria e do transporte.

"Finalmente podemos dizer ao mundo que os Estados Unidos estão prontos para assumir seu papel como líder mundial em energia limpa", indicou o senador John Kerry, um democrata de Massachusetts e aliado do presidente Barack Obama.

Após meses de delicadas negociações, Kerry e o senador independente Joe Lieberman apresentaram um projeto de lei sobre o corte das emissões de CO2 na indústria pesada e nas usinas de energia, responsáveis pelo aquecimento global, segundo parte da comunidade científica.

Uma vez que o alcance do projeto excede o atual mandato, estabelece um sistema para "limitar e negociar" os direitos das emissões de carbono, concedendo incentivos econômicos para a comercialização dos créditos.

Os sistemas de "limitar e negociar" são a base dos esforços da Europa para reduzir as emissões de carbono e a base de um projeto de lei aprovado pela Câmara de Representantes em junho de 2009.

No entanto, o projeto de lei engloba, apenas, as 7.500 indústrias e usinas de energia nos Estados Unidos, cada uma com uma produção maior que 25 mil toneladas de poluição de carbono por ano.

Conscientes da instabilidade econômica, o projeto não limita as emissões na indústria manufatureira até 2016 e exime inteiramente de compromissos os agricultores.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG