Representantes de governos municipais debatem sobre mudança climática em SP

Para grupo de prefeitos das maiores cidades do mundo, chave é descentralização das políticas ambientais

EFE |

Os representantes dos governos municipais de diferentes partes do mundo, reunidos em São Paulo, fizeram nesta quinta-feira uma chamada à ação para combater a mudança climática e exigiram uma maior descentralização nas estruturas de poder para executar políticas ambientais.

"As cidades não estão esperando as negociações globais, já estão trabalhando", disse o ex-presidente colombiano Andrés Pastrana na segunda jornada da cúpula das grandes cidades C40.

Durante uma das conferências, Pastrana, que foi o primeiro prefeito eleito de Bogotá, assegurou que os municípios são responsáveis por aplicar políticas contra o aquecimento global e destacou a importância de "elevar a voz das cidades nas negociações sobre mudança climática".

Por sua vez, a prefeita de Sydney, Clover Moore, assegurou que as Prefeituras estão trabalhando contra o aquecimento do planeta, "inclusive se os Governos (nacionais) não o fazem". Segundo ela, "a mudança climática é real e está ocorrendo a um ritmo rápido" e atualmente "a ação é a única via".

"Os líderes nacionais não entendem ainda o que estamos conseguindo", ressaltou a prefeita. Outra autoridade que participou da conferência foi o prefeito da cidade alemã de Heidelberg, Eckart Würzner, que destacou que "o primeiro passo" é conceder mais poder aos governos locais.

O anfitrião do evento, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, ressaltou que são os municípios os que prestam serviços ao cidadão. Segundo Kassab, os cidadãos destacam como sua máxima prioridade os serviços sanitários, seguidos pelos de educação e, em terceiro lugar, pelos de meio ambiente.

Ele assegurou que São Paulo é um exemplo de sucesso no uso do poder público em políticas de gestão. Kassab ressaltou ainda que, de todos os foros de debate sobre mudança climática, nenhum conseguiu transmitir mais otimismo que a C40. Kassab destacou que o lixo que se recolhe todos os dias em São Paulo é processado em lixões nos quais os gases emitidos não são expulsos à atmosfera, mas se transformam em energia elétrica.

A C40 termina na tarde desta quinta-feira com um amplo programa de sessões técnicas. O encontro é celebrado a cada dois anos com o propósito de incentivar a cooperação internacional entre as cidades mais povoadas do mundo e promover o desenvolvimento sustentável.

    Leia tudo sobre: BRASILCLIMA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG