Presidente da BP cria polêmica ao participar de regata

Empresa defende postura de Hayward; trabalhos de coleta de petróleo foram retomados no Golfo

iG São Paulo |

© AP
Regata na ilha de Wight que aconteceu neste sábado contou com a presença do presidente da BP
O diretor executivo da British Petroleum (BP), Tony Hayward, participou de uma conhecida regata britânica neste sábado (19), um dia depois que deixou de ser o responsável pelo acompanhamento diário do vazamento de petróleo no Golfo do México. Ontem, o presidente da BP, Carl-Henric Svanberg, disse que Hayward estava deixando o gerenciamento diário do vazamento de petróleo.

A notícia despertou fúria de grupos de proteção ambiental, que classificam a situação como "um outro desastre de relações públicas" para Hayward e a BP.

O veleiro Bob, de Hayward e outros dois amigos, de valor estimado em US$ 370 mil, integrou a Regata 2010 patrocinada pela JPMorgan Asset Management, que circunda a Ilha de Wight, na costa inglesa.

Hugh Walding, da organização Amigos da Terra, acredita que a questão será vista como um "desastre de relações públicas" para a empresa.

A mídia divulgou a participação do diretor da BP na regata, mas a empresa se recusou a confirmar a presença de Hayward. "Nós não sonharíamos em comentar sobre o que o diretor executivo faz em seus raros momentos privados", disse a assessoria da empresa, quando questionada sobre a regata, acrescentando que Hayward estava com seu filho. Um porta-voz da BP, John Curry, antecipou-se em defender a viagem do chefe. "Não importa onde ele está, sempre fica sabendo do que ocorre na BP", disse.

Outro representante da BP, Robert Wine, também defendeu Hayward ao afirmar que será seu "primeiro dia de folga desde que iniciou" o vazamento, após a explosão em 20 de abril da plataforma de petróleo Deepwater Horizon e seu posterior naufrágio na costa de Louisiana, sul dos EUA.

Retomada da coleta
A petroleira também anunciou neste sábado que seu principal navio para coleta do petróleo que vaza de um poço danificado no Golfo do México reiniciou suas tarefas depois de uma interrupção de dez horas devido a uma falha técnica.

Veja a evolução do vazamento de petróleo no Golfo no infográfico do iG


O Discoverer Enterprise, um barco que recolhe entre 15.000 e 18.000 barris de petróleo por dia desde que um funil foi instalado sobre o vazamento localizado a 1.500 metros de profundidade, interrompeu suas atividades às 01h23 GMT do sábado (10h23 de Brasília, na sexta-feira), devido ao bloqueio de um dispositivo anti-incêndio, disse o porta-voz da BP, Robert Wine.

"O duto de ventilação estava parcialmente obstruído. Isso bloqueava a quantidade de petróleo que podíamos introduzir nos depósitos" da embarcação, afirmou Wine.

"Foi colocada fora do serviço para ser destampado, mas as condições meteorológicas eram difíceis e havia risco de raios. Então, no lugar de começar de novo sob a tempestade, decidiram aguardar", completou.

Antes dessa interrupção, os barcos da BP recuperavam em torno de 25.000 barris diários, informou na sexta-feira Thad Allen, comandante da Guarda Costeira dos Estados Unidos.

(Com informações da AFP e Agência Estado)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG